Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 01 de Março de 2024

Menu

Hospital de Sinop

Empresa não conseguiu comprovar que tem equipe para tocar UTI

Por falta de documentação, Secretaria de Saúde pede a rescisão do contrato

Saúde | 02 de Maio de 2023 as 10h 35min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

A OGTI (Organização Goiana de Terapia Intensiva), empresa contratada pelo Governo de Mato Grosso para implantar os leitos de UTI Pediátrica no Hospital Regional de Sinop, ainda não demonstrou que tem a equipe necessária para prestar o serviço. Pelo contrato, assinado no dia 7 de fevereiro, a Organização tinha 3 dias úteis para apresentar toda a documentação necessária – que não aconteceu. O Governo do Estado chegou a dilatar o prazo, abrindo uma excepcionalidade para a empresa. Mesmo assim, ainda há pendência documental.

Na manhã desta terça-feira (2), a Secretaria de Saúde do Estado, através do seu departamento de comunicação, informou que a OGTI não apresentou as escalas setorizadas para a UTI, UCI e Enfermaria. Também não foram apresentadas as escalas por especialidades e de responsáveis técnicos. Outro documento faltante é a Declaração de Escala Mensal de Trabalho e a documentação comprobatória do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Esses documentos estão diretamente relacionados à formação da equipe que vai atuar na unidade hospitalar, desde os médicos mais especializados – como cirurgião pediatra – até os profissionais de suporte, como os técnicos em enfermagem. Como as UTI’s funcionam 24h por dia, 7 dias por semana, é preciso demonstrar a escala de profissionais com quantidade suficiente para operar em todos os turnos. A Organização não apresentou essa documentação. “Seria uma irresponsabilidade enorme permitir que essa empresa colocasse os leitos em funcionamento sem a regularização de pontos essenciais para o funcionamento de uma UTI. Iremos licitar novamente o serviço para que seja possível a oferta de um atendimento de excelência, como a população merece”, disse o secretário de Estado de Saúde, Juliano Melo.

Considerando a situação irremediável, a Secretaria de Saúde solicitou a rescisão do contrato e já trabalha em um novo processo licitatório para atender a demanda por leitos pediátricos na região.

A OGTI foi contratada para implantar 30 leitos pediátricos no Hospital Regional de Sinop, sendo 10 leitos de UTI Pediátrica tipo 2, 15 leitos de UCI (Unidade de Cuidados Intermediários) e 5 leitos de enfermagem clínica.

Na última sexta-feira (28), o GC Notícias reportou o histórico dessa empresa no Hospital Regional de Sinop. Responsável pelos leitos de UTI adulto durante a pandemia de Covid-19, essa empresa amargou uma taxa de mortalidade superior a 90% - chegando a ter um índice de 100% de óbitos entre outubro e dezembro de 2020 – clique aqui para ler a reportagem.

Logo mais, às 11h, o representante da empresa, Daoud Mohd Khamis Jaber Abdallah, vai conceder uma entrevista coletiva em um hotel de Sinop. O GC Notícias vai acompanhar.