Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sábado 13 de Julho de 2024

Menu

Fase de testes

Vacina experimental contra HIV consegue gerar anticorpos em humanos

Em fase inicial de testes, o imunizante induziu a produção de anticorpos amplamente neutralizantes do HIV em um pequeno número de pessoas

Saúde | 23 de Maio de 2024 as 00h 27min
Fonte: Galileu

Foto: Mufid Majnun/Unsplash

Os anticorpos amplamente neutralizantes do HIV (os bNAbs, ou Broad neutralizing antibodies, em inglês) foram descobertos na década de 1990. Eles reconhecem e neutralizam diversas cepas do Vírus da Imunodeficiência Humana. Quatro décadas depois, pesquisadores ainda tentam desenvolver uma vacina que leve o sistema imune humano a produzi-los.

Publicado na última sexta-feira (17) no periódico Cell, um estudo mostrou que uma vacina em estágio inicial de testes da Duke Human Vaccina Institute (DHVI), nos Estados Unidos, induziu a produção de bNAbs em pessoas após a aplicação de duas doses.

Esses anticorpos só são produzidos em entre 10% a 25% das pessoas que vivem com essa Infecção Sexualmente Transmissível (IST) e podem levar anos para se desenvolverem.

 

Processo de testes

A primeira fase de testes do imunizante do DHVI começou em 2019 e envolveu 24 participantes. Desses, quatro receberam placebo. Após a terceira dose, um participante apresentou reação alérgica severa ao polietilenoglicol (PEG), usado para estabilizar a formulação do imunizante.

Com isso, os testes foram interrompidos. Até aquela etapa, cinco pessoas já haviam tomado três das quatro doses planejadas e, outras 15, apenas duas doses. Dentre as que receberam três doses, duas apresentaram os anticorpos desejados, sendo que o mais potente deles neutralizou de 15% a 35% das cepas de HIV em testes com células.