Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Quinta Feira 29 de Fevereiro de 2024

Menu

Prevenção

Sinop realiza último Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti do ano

Este levantamento conta com a participação de equipes dedicadas, que visitarão 2.600 residências e estabelecimentos

Saúde | 24 de Outubro de 2023 as 11h 40min
Fonte: Daiane Stela - Assecom

Foto: Assecom

A Prefeitura de Sinop está empenhada em garantir a saúde e o bem-estar da população, e uma parte fundamental desse compromisso é o monitoramento e controle da infestação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, zika e chikungunya. Por isso, teve início ontem, segunda-feira, 23, e segue até o final desta semana [sexta-feira, 27], o último Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) do ano.

O LIRAa é uma ferramenta essencial para avaliar o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti no município, permitindo, desta forma, que medidas preventivas e corretivas sejam tomadas para proteger a população. Este levantamento conta com a participação de equipes dedicadas, que visitarão 2.600 residências e estabelecimentos comerciais para identificar focos de infestação e aplicar medidas de controle.

O coordenador de Endemias, Alef de Souza Costa, destaca que a colaboração dos moradores é crucial para o sucesso deste esforço. “Pedimos a todos que abram suas portas para as equipes de saúde e que permitam que eles realizem as inspeções necessárias. Além disso, é fundamental que todos estejam cientes da importância de eliminar recipientes que possam acumular água e se tornar criadouros do mosquito”, enfatiza.

O LIRAa é realizado quatro vezes ao ano, em todo Brasil, de forma simultânea. O percentual preconizado pelo Ministério da Saúde é de 1%, aqui em Sinop o primeiro levantamento foi de 10,9%, passando para 2,2% e reduzindo para 1,3%. Os resultados ajudam a direcionar as ações do Poder Público, fortalecendo a luta contra as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.