Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Quarta Feira 29 de Junho de 2022

Menu

Saúde

Secretário de Estado Saúde cita possibilidade de nova onda da covid-19 em Mato Grosso

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, pontuou que uma nova onda da doença traria riscos à saúde, educação e economia.

Alerta | 29 de Novembro de 2021 as 07h 57min
Fonte: Hipernoticias

Foto: Reprodução

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, criticou a realização de festas de carnaval em 2022. Segundo ele, o advento de novas variantes e a porcentagem de população vacinada não permite tranquilidade. O secretário destacou que ainda não é possível descartar uma nova onda da covid-19. Declaração foi dada durante coletiva de impensa na última sexta-feira (26). 

"Os riscos estão aí, a Europa explodindo casos para todos os lados, novas variantes surgindo na África e nós aqui pensando em realizar eventos dessa natureza. Não é a maior parte da população vacinada que nos dá tranquilidade, precisamos ter no mínimo 90% da população vacinada, isso nos dá tranquilidade", disse.

Segundo dados do Consórcio de Imprensa, em 11 meses de distribuição de vacinas, Mato Grosso conseguiu vacinar apenas 54,66% da população vacinável. Nesse sentido, Figueiredo fez um apelo à população e aos gestores municipais. 

"Por isso continuo fazendo um apelo à população para que continuem buscando as vacinas, evitando naquilo que é possível se aglomerar. Uma nova onda da pandemia significa um grande sacrifício para todos, com grande distorções na área econômica, na saúde, na educação. Não da para, neste momento, ter um pouquinho mais de paciência?", completou. 

Rondonópolis

A Prefeitura de Rondonópolis (220 km de Cuiabá) anunciou, nesta sexta-feira (26), que cancelou as festividades de Carnaval e Réveillon na cidade e anunciou novas medidas restritivas contra a covid-19. A decisão veio após Mato Grosso apontar aumento no grau de risco de contágio pela coronavírus. O comprovante de vacinação também será exigido em todo e qualquer estabelecimento da cidade.