Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Segunda Feira 04 de Julho de 2022

Menu

Saúde

Saúde descarta vacina como causa de doença neurológica em paciente

Médico afirmou que casos eram "oficialmente" ligados às imunização contra Covid, mas Pasta nega

Investigação | 13 de Fevereiro de 2022 as 10h 09min
Fonte: Mídia News

Foto: Agência Saúde

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) descartou a hipótese de evento adverso à vacina da Covid-19 em uma mulher diagnosticada com mielite transversa aguda, doença que causa inflamação no Sistema Nervoso Central (SNC).

As investigações começaram após um neurocirurgião de Sinop divulgar um vídeo nas redes sociais informando sobre dois casos “oficialmente notificados de reação neurológica grave pós vacinação de Covid” no Município.

O resultado do primeiro caso ficou pronto e comprovou que o diagnóstico da paciente, de 36 anos, não havia sido causado pela vacinação.

“De forma simplificada, constatou-se os indicativos para descartar o caso como evento adverso pós-vacinal, restando apenas uma relação temporal entre a imunização e o diagnóstico da doença mielite transversa aguda”, diz trecho do documento.

A secretaria ainda explicou que a mielite transversa aguda pode ocorrer por diversas causas, como por processos pós-infecciosa, inflamatórios ou doença multifocal do sistema nervoso central. No entanto, entre todas essas, a mais comum é a chamada idiopática.

Em casos idiopáticos a doença não tem relação e se manifesta ou existe sozinha, “quando ocorre de modo espontâneo, naturalmente ou sem razão aparente; que não se forma a partir de outra doença”, explica.

“Portanto, a identificação de um fator causal frente a esses casos é extremamente rara na medicina. Muitos dos eventos adversos são meramente associações temporais, não se devendo à aplicação das vacinas”, conclui.

Casos raríssimos

Em um levantamento entre os anos de 1979 e 2013, a Pasta descreveu como raro os casos de doenças no sistema nervoso relacionadas às vacinas.

Com a influenza foram 21 casos, vírus do papiloma humano-HPV foram 9 casos, hepatite A ou B 8 casos, raiva 5 casos, sarampo 5 casos, rubéola 5 casos, febre amarela 3 casos, antraz 2 casos, meningococo 2 casos e tétano 2 casos.

“Sob a mesma perspectiva, outro estudo, então englobando os anos de 2007 a 2012, encontrou apenas 07 casos de mielite transversa entre 64 milhões de doses de vacina. Essas taxas relativamente baixas são consistentes com a raridade dos eventos”, afirma.

Em relação à vacina que combate a Covid-19, a Secretaria identificou que existe um caso para cada milhão na população geral, enquanto que os casos relacionados com a doença Covid-19 é de 0,5/milhão em pacientes infectados.

Dessa forma, as doenças no Sistema Nervoso Central associada à vacina contra a Covid-19 ainda é relativamente baixa, por isso os benefícios das vacinas superam os raros potenciais riscos de inflamação do SNC.

O outro caso citado pelo médico ainda está sob investigação da Saúde.