Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 24 de Setembro de 2021

Saúde

Pesquisa financiada pela Fapemat descobre dois compostos com potencial antimalárico

A pesquisa estudou as moléculas do veneno do Sapo-cururu bastante encontrado na biodiversidade matogrossense.

Investimento | 21 de Maio de 2021 as 15h 41min
Fonte: Assessoria

Assessoria

O grupo de pesquisa “Avaliação de produtos Naturais do Estado de Mato Grosso com Potencial Atividade Antimalárica" da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) - Campus Sinop, protocolou junto ao Instituto Nacional de Patentes Industrial (INPI) duas solicitações relativas a compostos bioativos do sapo-cururu (Rinella Marina-Bufonidae)

Coordenada pelo professor doutor Bruno Antonio Marinho Sanches e pelo professor doutor Fernando de Pilla Varotti, da área de Protozoologia Parasitária Humana, a pesquisa contou com apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat), por meio do Edital Universal 2016.

Foram avaliadas as atividades antimaláricas e antitumorais dos compostos extraídos do veneno do sapo-cururu em cepas padronizadas de Plasmodium falciparum (protozoário parasita que causa a malária em humanos) e células tumorais de câncer de mama.

Os resultados obtidos demonstraram que o veneno deste sapo possui potencial atividade antimalárica e antitumoral, com baixa toxicidade para as células.

Laboratório de pesquisa
Créditos: Foto: Arquivo/ pesquisador

A malária é uma das principais causas de morte no mundo, chegando a 228 milhões de casos. Atualmente são conhecidas cerca de 150 espécies causadoras de malária em diferentes hospedeiros vertebrados. Destas espécies, cinco parasitam o homem: Plasmodium falciparum, P. vivax, P. malariae, P. ovale e P. knowlesi. As três primeiras estão presentes no Brasil, país onde a doença é considerada endêmica. 

A resistência do plasmódio aos antimaláricos é considerada o maior problema no controle da doença. Atualmente, a resistência do P. falciparum e do P. vivax se estende a muitos antimaláricos convencionais, o que justifica a urgência de novos regimes de tratamento.

Espécie do sapo-cururu (Rinella Marina-Bufonidae)
Créditos: Divulgação científica

A biodiversidade brasileira, que abrange mais de cem mil espécies de invertebrados e mais de oito mil espécies de vertebrados, favorece a pesquisa de novos compostos através da Bioprospecção, Mato Grosso se destaca por conter os três grandes biomas brasileiros: a Amazônia, o Cerrado e o Pantanal. Nesse contexto, é importante uma abordagem multidisciplinar no desenvolvimento de novos medicamentos, incluindo o isolamento, a purificação e a avaliação das atividades farmacológicas das toxinas naturais.