Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 01 de Março de 2024

Menu

Prevenção

Pesquisa controla vetores que transmitem Malária e Leishmanioses

Todo o processo de coleta dos insetos é feito por uma equipe treinada

Saúde | 30 de Maio de 2023 as 11h 34min
Fonte: Daiane Stela - Assecom

Foto: Assecom

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Combate às Endemias, tem trabalhado de forma contínua no controle dos vetores Flebotomíneos (Transmissores de Leishmanioses), e Anopheles (transmissores da Malária), com o objetivo de monitorar o índice de infestação no município.

Todo ano, são pelo menos quatro coletas entomológicas, duas na área urbana e duas na zona rural, onde os vetores são atraídos e capturados por meio de armadilhas luminosas, barraca de shannon e captura humana protegida . Todo o processo de coleta dos insetos é feito por uma equipe treinada. 

Locais como rios, brejos e lagoas são propícios para o transmissor da malária. Já o flebotomíneo, gosta de locais sombreados, com matéria orgânica que fica acumulada em fenda de pedras e troncos de árvores. O coordenador de endemias, Alef de Souza Costa, destaca que essas características são facilmente encontradas nas áreas rurais de Sinop e também em bairros próximos de reservas florestais e riachos/córregos, por isso a importância do monitoramento entomológico anualmente.

“O primeiro levantamento da coleta foi no mês de abril, nos bairros Jardim Botânico, que possui área de mata do Viveiro Municipal, e no e Jardim das Primaveras, que fica ao lado do Parque Floresta, onde foi possível fazer a captura de 165 Anopheles e 11 Flebotomíneos. A segunda pesquisa foi neste mês de maio na Gleba Mercedes, zona rural de Sinop. Por lá foram pegos 165 Anopheles e nenhum Flebotomíneo” destacou o coordenador.

“Essas ações fazem parte do compromisso do Centro de Endemias de manter a população bem informada, buscando através da disseminação de informação a prevenção de doenças.  E fica o alerta para quem mora próximo a áreas de mata, ou costuma frequentar esses locais, é precisar ter cuidados, como usar roupas compridas, repelentes, usar telas finas e mosquiteiros” ressaltou Alef.