Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 23 de Fevereiro de 2024

Menu

Operação espelho

Médicos e empresários viram réus por esquema milionário em contratos na Saúde

De acordo com o MPE, os denunciados se associaram de forma estruturada

Saúde | 20 de Dezembro de 2023 as 06h 48min
Fonte: Da Redação

Foto: Divulgação

O juiz da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Jean Garcia Freitas Bezerra, recebeu a denúncia do Ministério Público e tornou réus 21 alvos da Operação Espelho, pelos crimes de organização criminosa, peculato e fraude à licitação. Dentre eles, médicos, pecuaristas, empresários e servidores públicos do Estado que são suspeitos de integrarem organização criminosa com objetivo de fraudar contratos de prestação de serviços hospitalares e médicos em hospitais de Mato Grosso.

Na decisão desta terça-feira (19), tornaram-se réus com o recebimento da denúncia médicos, empresários, pecuaristas, enfermeiros, professora, contadora e servidores públicos. De acordo com a denúncia, o esquema teria causado prejuízos de R$50 milhões aos cofres públicos.

Do total de 22 denunciados, somente a servidora pública Caroline Campos Dobes Neves teve a denúncia rejeitada pelo magistrado. O juiz também manteve as medidas cautelares inicialmente decretada em face dos alvos, como a proibição de frequentar as unidades hospitalares investigadas, de manterem contatos entre os acusados, bem como a limitação do exercício das respectivas funções públicas.

De acordo com o MPE, os denunciados se associaram de forma estruturada, permanente e ordenada, com notória divisão de tarefas com objetivo de obterem vantagens ilícitas, atuando por intermédio de empresas para capitanear, sem concorrência efetiva, contratos com os órgãos públicos do Estado e municípios.

Segundo as investigações, alguns médicos foram contratados para obterem o recebimento pelos plantões prestados, eles deveriam aderir aos comandos da organização ingressando no quadro societário das respectivas empresas, como sócios quotistas sem direito a participação nas decisões e nos lucros das empresas.

 

Veja a lista dos denunciados pelo MPE à Justiça:

Luiz Gustavo Castilho Ivoglo – médico e empresário;
Osmar Gabriel Chemim – médico e empresário;
Bruno Castro Melo – médio e empresário;
Carine Quedi Lehnen Ivoglo – médica
Gabriel Naves Torres Borges – médico e empresário;
Alberto Pires de Almeida – médico, pecuarista e empresário;
Renes Leão Silva – médico e empresário;
Marcelo de Alécio Costa – militar da reserva;
Catherine Roberta Castro da Silva Batista Morante – médica