Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Quarta Feira 27 de Outubro de 2021

Saúde

Estado contrata nova empresa para operar leitos de UTI em Sinop

Contrato emergencial mantém leitos funcionando até novembro

Ala Covid | 18 de Maio de 2021 as 17h 31min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Assessoria

O Governo do Estado de Mato Grosso publicou hoje, terça-feira (18), no Diário Oficial, o extrato do novo contrato para operação de leitos de UTI, para pacientes com Covid-19, no Hospital Regional de Sinop. Os 10 leitos haviam sido desativados no final da semana passada, pela secretaria estadual de Saúde. Uma decisão liminar, da Justiça, determinou a manutenção dos leitos. O Estado se negou a retomar o contrato com a mesma empresa e na data de hoje elegeu um novo fornecedor para o serviço;

Os leitos de UTI fechados – e que agora serão retomados – eram mantidos pela Organização Goiana de Terapia Intensiva, como parte da estratégia de enfrentamento à pandemia de Covid-19. Na sexta-feira (14), o Estado determinou o encerramento do contrato, dando 48h para a empresa desocupar o Hospital. “Em nenhum momento a empresa foi notificada sobre qualquer falha ou irregularidade nos serviços prestados. Ao contrário, a unidade têm sido uma referência dentro do hospital em questão. Há mais de um ano os profissionais tem desempenhado suas atividades com qualidade e excelência”, declarou a empresa através da sua assessoria.

O Estado já tinha um novo contrato assinado. Através da dispensa de licitação 070/2021, o secretário de saúde, Gilberto Figueiredo contratou a Bone Medicina Especializada Ltda. Essa empresa, com sede em Cuiabá, é representada pelo médico ortopedista, Osmar Gabriel Chemin.

O novo contrato engloba serviços de gerenciamento técnico, administrativo, fornecimento de recursos humanos, recursos materiais, medicamentos, insumos farmacêuticos, incluindo fornecimento de equipamentos de UTI e prestação de serviços médicos de nefrologia. O número de leitos foi mantido.

O contrato tem 180 dias de vigência, começando na sexta-feira (14) e encerrando em 10 de novembro de 2021.

Pelos serviços o Estado vai pagar R$ 6,7 milhões – em média R$ 3.750,00 por leito de UTI/dia.