Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 01 de Março de 2024

Menu

Aumento de casos

Casos de dengue explodem em MT; Estado confirma 2 mortes e investiga outras 7

Registro de tipo 2 da doença, após 14 anos ‘livre’, acende alerta. População deve manter quintais limpos

Saúde | 17 de Abril de 2023 as 17h 18min
Fonte: Estadão Mato Grosso

Foto: Secom -VG

O aumento no número de casos de pacientes com dengue em Mato Grosso preocupa as autoridades de Saúde do estado, entre elas o novo secretário de Estado de Saúde, Juliano Melo. Só neste ano, quase 9 mil casos foram registrados, segundo a atualização do último Informe Epidemiológico nº 6, atualizado no dia 3 de abril.

Nesta segunda-feira, 17 de abril, Juliano Melo, que exercia a função de secretário adjunto de Atenção e Vigilância em Saúde da SES-MT desde 2019, disse que a situação é "crítica" para o aumento de casos de Influenza e Dengue. "É só ir até uma unidade de saúde que vocês vão ver pessoas resfriadas, com síndrome gripal e dengue", pontuou.

O Estado já notificou 14.247 casos, dos quais 9.832 são classificados como prováveis e 8.417 já foram confirmados. Mato Grosso também registrou duas mortes por dengue e outros sete óbitos estão em investigação.

Entre os municípios com mais casos registrados nesses quatro meses, Rondonópolis aparece com 603, Cuiabá com 371 e Sinop com 186 casos. Ao todo, 44 cidades estão com classificação de "Alto Risco" para dengue, com incidência dos casos acumulados maior ou igual a 300 casos por 100 mil habitantes.

"[O aumento de casos de dengue] preocupa muito, já que registramos casos de dengue tipo 2. Desde 2009 que não tínhamos registros, mas voltamos a registrar recentemente. O tipo dois é de maior circulação e pode levar a casos mais graves também", explica Melo.

Para evitar a proliferação do mosquito e a formação de criadouros, é necessário inspecionar os ambientes externos e internos da casa, manter a caixa d'água fechada e limpa, cuidar do lixo e dos vasos de plantas, trocar diariamente a água dos recipientes dos pets, colocar água sanitária nos ralos e tampá-los após secar e evitar a exposição de qualquer objeto que concentre água parada.

Em caso de sintomas como febre, náuseas, dor abdominal, exantema (irritação da pele), dor de cabeça, dor retro-orbital (dor ao redor dos olhos) e, principalmente, dor abdominal, o paciente deve procurar uma Unidade de Saúde mais próxima.