Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 28 de Janeiro de 2022

Rural

Mato Grosso libera uso de Correntão para abertura de áreas

Implemento agrícola utilizada no desmatamento será descriminalizado

Permissão | 28 de Março de 2016 as 11h 15min
Fonte: Redação

Banido em 2012, após a aprovação do novo Código Florestal, o implemento agrícola, popularmente conhecido como correntão, será liberado para ser usado na abertura de áreas em Mato Grosso. A decisão foi tomada durante uma reunião na última quarta-feira (24), em Cuiabá, com entidades do setor produtivo de Mato Grosso e a Sema. “A liberação é importante porque sem o uso do correntão ficaria inviabilizada a abertura e limpeza de áreas em algumas regiões do Estado”, explica Elso Pozzobon, vice-presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja).

Também ficou acordado que os pecuaristas não precisarão de autorização ou comunicação formal da Sema para fazer a roçada, utilizada para limpeza de áreas de pastagens para criação de animais.

De acordo com a secretária de Meio Ambiente, Ana Luiza Peterlini, que deixou o cargo na quinta-feira, o governo busca aliar sustentabilidade ambiental e desenvolvimento. “Acreditamos que estamos seguindo uma linha de trabalho interessante e que com sustentabilidade ambiental também atrairemos investidores que tem essa premissa como condição para vir ao Estado”, afirmou.

O “Correntão” é um implemento agrícola composto por uma corrente de aço reforçada, com elos de até 40cm de comprimento. Cada uma de suas extremidades é presa em um trator de esteira com alto torque, que vão rebocando a corrente, varrendo a vegetação existente no espaço entre os dois tratores. Agora o equipamento poderá ser utilizado mediante autorização de desmatamento legal dada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

Participaram da reunião o secretário chefe da Casa Civil, Paulo Taques, o vice-presidente da Aprosoja, Elso Pozzobon, o 2º diretor financeiro, Sérgio Triches, o diretor executivo, Wellington Andrade, a analista Marlene Lima, representantes da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (FAMATO), da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) e da Associação Mato-grossense de Produtores de Algodão (Ampa) e técnicos da Sema, informa a assessoria.