Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Domingo 14 de Julho de 2024

Menu

Recorde

Mato Grosso é o segundo maior produtor de etanol do Brasil

Com uma produção recorde de 5,72 bilhões de litros na safra 2023/24 os números revelam uma alta de 32% se comparados ao período anterior (4,34 bilhões de litro)

Rural | 25 de Abril de 2024 as 14h 04min
Fonte: PNB Online

Foto: Divulgação

Mato Grosso alcançou pela primeira vez a vice-liderança na produção nacional de etanol. O Estado superou Goiás, que até então ocupava a segunda colocação, e fica atrás somente de São Paulo. Os dados foram divulgados pelo Bioind MT (Indústria de Bioenergia de Mato Grosso) e pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), nesta quinta-feira (25.04).

Com uma produção recorde de 5,72 bilhões de litros na safra 2023/24, os números revelam uma alta de 32% se comparados ao período anterior (4,34 bilhões de litro). Este é o maior percentual de crescimento anual da produção de etanol já registrado no Estado.

Do total de etanol produzido na safra 2023/24, os dados aponta que 4,54 bilhões de litros vieram do milho; e 1,18 bilhão de litros da moagem de cana. Deste volume, 3,73 bilhões de litros foram de etanol hidratado (biocombustível que vai direto para as bombas), e 1,99 bilhão de litros de anidro (produto que é adicionado à gasolina).

“Com esse resultado, Mato Grosso se consolida como um dos grandes polos da bioenergia no Brasil, a indústria do futuro sustentável e da transição energética, e um dos motores do desenvolvimento econômico nacional nas próximas décadas”, afirma o presidente do Bioind MT, Silvio Rangel.

Para a próxima safra (2024/25), a expectativa do Imea é que a produção total de etanol alcance 6,30 bilhões de litros, um acréscimo de 10,03% em relação ao realizado nesta safra. Deste volume, 5,207 bilhões de litros devem vir do milho e 1,088 bilhão da cana.

“Estamos falando de uma indústria que hoje traz, pelo menos, quatro importantes benefícios para o país. Produz biocombustíveis e óleo de milho; fornece fertilizantes e proteína vegetal para alimentação animal e levedura; emite créditos de carbono; e gera energia elétrica a partir de resíduos. É um setor onde tudo é reaproveitado e produz renda, gera empregos e aumenta a arrecadação de impostos”, completa Rangel.

Hoje, Mato Grosso tem 18 indústrias de etanol e outras quatro podem iniciar operação nos próximos anos. O Estado também concorre para ter a primeira indústria de etanol carbono negativo do mundo, por meio da tecnologia de BECCS (bioenergia com captura e armazenamento de carbono) que está sendo desenvolvida em indústrias instaladas no Estado.