Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sexta Feira 19 de Agosto de 2022

Menu

Política

Vereadora denuncia ameaças de morte pela terceira vez em Sinop

Professora Graciele registrou novo boletim de ocorrência na Polícia Civil

Violência política | 14 de Julho de 2022 as 18h 20min
Fonte: Valquiria Castil - Capital Notícia

Foto: Assessoria

A vereadora Professora Graciele (PT) registrou boletim de ocorrência, nesta quarta-feira (13.07), contra ameaças de morte e injúrias que tem recebido em suas redes sociais. De acordo com a parlamentar, a motivação dos ataques é devido ao posicionamento político e a atuação dentro da Câmara Municipal.

Após fazer a denúncia na Polícia Civil, Graciele publicou em sua rede social um vídeo relatando as ameaças que sofre desde que iniciou o seu mandato em Sinop. “Em 18 meses de mandato, essa é a 3ª vez que estamos aqui na delegacia”, relata.

O confronto à professora acontece por meio de ofensas e ameaças. Geralmente pelas redes sociais e grupos de aplicativo de conversa, como o WhatsApp, mas também há ameaças durante sessões na Câmara dos Vereadores, feito por pessoas que acompanham o parlamento, explicou ao Capital Notícias.

Entre as mensagens, um dos agressores escreveu “Esses petistas só matando”. De acordo com o artigo 147 do Código Penal, ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, tem uma pena de detenção de um a seis meses ou multa. O mesmo vale para as injúrias, que são os xingamentos, quando atribui uma qualidade negativa, sem importar se é verdadeira ou falsa.

“A intenção [de fazer o registro de ocorrência] é diminuir a violência política. [Os confrontos] geram insegurança e preocupação. Eu tento pensar que são apenas ameaças, mas tomo todos os cuidados possíveis, de não sair sozinha ficar até tarde da noite na rua”, afirma Graciele.

Conforme o vídeo publicado, em que a vereadora expõe comentários agressivos e ameaças, inclusive de morte, Graciele diz que alguns casos, como de atentado à vida estão sendo apurados pelo Ministério Público, e que a Polícia Civil já coletou depoimentos de alguns suspeitos, mas nada foi concluído até o momento.

“Algumas pessoas, infelizmente, acham que podem falar o que quiser, inclusive possivelmente cometer crimes, e simplesmente tudo vai ficar por isso”, diz parte do texto publicado com o vídeo. “Nós não podemos aceitar nenhum tipo de violência política e precisamos denunciar. Não podemos deixar passar esse tipo de comportamento, esse tipo de crime, então denuncie”, finaliza o vídeo.