Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 01 de Março de 2024

Menu

Enfim a hipocrisia

Ulysses Moraes assume cargo na AL com sálario e VI de até 22 mil

Enquanto deputado estadual, Ulysses Moraes chegou a apresentar Projeto de Lei para reduzir a verba indenizatória na AL

Política | 05 de Abril de 2023 as 10h 32min
Fonte: Redação Capital Notícia

Foto: Divulgação

Cinco anos após apresentar um Projeto de Lei para reduzir as verbas indenizatórias para deputados e servidores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, o advogado Ulysses Moraes, ex-deputado estadual, assume o cargo de superintendente de controle interno fiscal, financeiro e contábil na Casa de Leis, com uma renumeração mensal de aproximadamente R$22 mil.

O ex-deputado assumiu o cargo no dia 2 fevereiro. A remuneração é dividida entre R$16 mil de sálario e mais R$6 mil de verba indenizatória. A nomeação de Ulysses repercutiu de forma negativa para a Assembleia e também para ele, uma vez que ele manteve durante todo o seu mandato de deputado estadual um discurso contra as regalias oferecidas a parlamentares e servidores do Legislativo.

Em 2022, Ulysses disputou a eleição para deputado federal pelo PTB, mas não conseguiu garantir a eleição, mantendo-se na 12ª posição, com 50.535 votos.

Nos bastidores a nomeação de Ulysses foi criticada por vários parlamentares e o deputado estadual Max Russi, do PSB, assumiu a responsabilidade pela contratação do ex-colega de parlamento.

 

Proposta

Em 2019, quando apresentou o Projeto de Lei para reduzir as verbas indeninizatorias dos 24 deputados estaduais e de todos os servidores do alto escalão, Ulysses destacava uma economia de mais de R$57 milhões para os cofres públicos em quatro anos. A matéria não foi aprovada.

Outro ponto, era que o projeto previa a prestação detalhada das contas de cada deputado e servidor que utiliza a verba indenizatória com a apresentação de notas fiscais. Atualmente, o uso da VI não exige comprovação dos gastos. Basta uma simples solicitação para receber o valor integral do benefício.