Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 24 de Setembro de 2021

Política

Senador cobra medidas preventivas para o pantanal

Período da seca se aproxima e incêndios podem voltar a devastar o bioma

Alerta | 20 de Abril de 2021 as 09h 21min
Fonte: Redação

O governo do Estado já prepara ações para prevenir e combater possíveis incêndios que devem ocorrer no pantanal no período da seca. A garantia foi dada ao senador Wellington Fagundes (PL-MT) pelo governador Mauro Mendes e a secretária Estadual de Meio Ambiente, Mauren Lazaretti, nesta segunda-feira (19). Entre as ações, está a compra de um helicóptero, que se soma a outros três para atuar em situações de emergência na região.

No ano passado, Fagundes presidiu a Comissão Temporária Externa do Pantanal, criada pelo Senado para acompanhar a situação dos incêndios, que consumiram quatro milhões de hectares no bioma. “As previsões são de que os incêndios podem voltar a acontecer este ano – e nos próximos quatro anos - diante da seca extrema. Por isso, acredito ser fundamental unir todos os setores da sociedade para evitar que uma nova tragédia, com as mesmas dimensões do ano passado, volte a acontecer.

Como parlamentar, ele tem viabilizado recursos do governo federal para  a região, como a compra de duas perfuratrizes para a construção de poços artesianos e a construção de dois centros de atendimento aos animais afetados pelas queimadas. “Existem várias outras medidas que estão sendo viabilizadas pela Sudeco, Ministério do Meio Ambiente e outros órgãos”, disse.

Na reunião, o governador ouviu de entidades como a OAB, Unemat, Sindicato Rural de Poconé, Assembleia Legislativa e organizações não governamentais a preocupação quanto a uma melhor estruturação das ações de prevenção e combate aos incêndios, como a aquisição de caminhões-pipa, construção de poços artesianos, a limpeza da faixa de domínio da Transpantaneira (MT-060), que corta boa parte do pantanal, e a construção de aceiros, além de assistência às famílias de ribeirinhos e indígenas da região.

Segundo a secretária de Meio Ambiente, o governo do Estado têm planejados a contratação de 100 brigadistas voluntários, a limpeza das margens da Transpantaneira, a implantação do Posto de Atendimento Emergencial de Animais Selvagens (Paeas), que este ano vai contar com recursos viabilizados pelo senador Wellington Fagundes, e a melhor estruturação do Corpo de Bombeiros, que inclui equipamentos já entregues no valor de R$ 10 milhões e a inauguração da unidade em Poconé.

Já o senador chamou a atenção para a Ação Direta apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que pretende equiparar as legislações do pantanal e da mata atlântica. “Tratam-se de dois biomas diferentes, com diferentes formas de ocupação e exploração dos recursos naturais, além de biodiversidades que são únicas”, lembrou. Segundo ele, a equiparação da legislação traria consequências graves, inclusive para as atividades econômicas hoje existentes no pantanal. “Já estive com o procurador Augusto Aras para tratar dessa questão e também pedi audiência com o ministro Marco Aurélio, do STF”, contou.