Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 28 de Setembro de 2021

Política

Prefeitura vai alugar prédio para Escola Militar

Estado bancará os salários dos profissionais e demais despesas

Sinop | 24 de Maio de 2021 as 18h 54min
Fonte: Jamerson Miléski

Com um custo de R$ 27 mil por mês, a prefeitura de Sinop irá alugar o prédio da Fastech (Faculdade de Tecnologia de Sinop), para abrigar a nova Escola Militar Tiradentes – a primeira do município. A locação do prédio de alto padrão foi aprovada pela Câmara de vereadores na sessão desta segunda-feira (24).

O projeto de lei aprovado pelo legislativo autoriza o prefeito Roberto Dorner a estabelecer um convênio como o Estado para colocar a unidade escolar em operação. Nesse termo o município se compromete a pagar o aluguel. Um segundo projeto de lei, também aprovado, remanejou sobras de recursos na conta utilizada para merenda escolar, vinculada a secretaria municipal de Educação. Neste ano serão R$ 162 mil empregado na locação do imóvel, que começa no segundo semestre. De acordo com a projeção da secretaria de Finanças de Sinop, esse custo subirá para R$ 438 mil em 2022 e R$ 592 mil em 2023.

A locação do imóvel foi um assunto discutido pelo próprio governador Mauro Mendes (DEM), durante sua visita a Sinop, no começo de maio. Mendes e sua equipe estiveram no prédio da faculdade, analisando a proposta. O governador destacou o alto padrão de qualidade do prédio.

Para receber a nova escola, o prédio da Fastech terá apenas que passar por algumas adequações, de acordo com o Major PM Manoel Benedito Fernandes Dantas, que já foi escolhido como o diretor da escola. “O prédio é novo, com ótima estrutura. Apenas algumas adequações no corpo administrativo, refeitório e cozinha serão feitas”.

Diferente das demais Escolas Militares Tiradentes, a unidade de Sinop será criada do zero – em geral se converte uma instituição de ensino do Estado convencional em uma escola militar. Nesses casos seria necessário uma audiência pública.

A Escola de Sinop será criada por portaria. Segundo o secretário de Estado de Educação, Alan Porto, a previsão é que a unidade entre em funcionamento no segundo semestre de 2021.

A nova instituição terá capacidade inicial para 800 estudantes do 7º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. A gestão da escola será da Polícia Militar, mas todo o corpo docente é da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

 

Porque uma Escola Militar?

A primeira Escola Estadual Militar de Mato Grosso, gerenciada pela PM, surgiu em 1986. Por 31 anos ela foi a única escola do tipo no Estado. O movimento conservador que se ergueu nos últimos anos enxertou essa política pública educacional, multiplicando o número de Escolas Militares.

Entre 2017 e 2019 foram criadas 7 escolas militares Tiradentes. Outras 5 criadas entre 2020 e 2021. A de Sinop será a 13ª.

Muitas lideranças políticas do município pleitearam a instalação de uma Escola Militar. A aprovação da locação do imóvel foi votada na Câmara com discursos que classificam a instituição militar como uma “conquista”. A rigidez disciplinar desse modelo de Escola costuma ser associada como indutor de uma educação de qualidade.

No Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), a média das escolas estaduais, para os anos finais do Ensino Fundamental é de 4,5. Já nas Escolas Militares, a menor nota é de 6,4.

Mas também não é a melhor nota. Como exemplo, a Escola Estadual Cleufa Hubner, que aguarda a construção da sua sede própria há 13 anos, obteve no último Ideb 7,1 pontos nas séries iniciais – a 4ª maior do Estado entre as escolas estaduais. “Se todas as escolas tivessem os recursos e o respeito que as escolas militares tem, com certeza seus desempenhos também seriam melhores”, lembrou a vereadora Professora Graciele (PT).

Hoje as escolas militares Tiradentes estão em Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Barra do Garças, Rondonópolis, Tangará da Serra, Nova Mutum, Sorriso, Lucas do Rio Verde, Juara, Alta Floresta e Confresa.