Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Segunda Feira 27 de Setembro de 2021

Política

Prefeitura vai abrir nova licitação para duplicar Av. Bruno Martini

A solicitação de informações sobre o andamento da obra, foi feita pelo vereador Célio Garcia

Obras | 30 de Junho de 2021 as 07h 48min
Fonte: Assessoria

A solicitação de informações sobre o andamento da obra, foi feita pelo vereador Célio Garcia (DEM), através do Requerimento 034/2021. No documento o parlamentar questiona o motivo da obra estar parada, pede uma previsão de reinicio e de conclusão.

A duplicação da Avenida Bruno Martini, no trecho que compreende o Aeroporto de Sinop e o Bairro Aquarela Brasil, foi lançada na gestão passada, pela então Prefeita Rosana Martinelli, em 2019. Na época, foi anunciado a conclusão no prazo de 240 dias, e um investimento de R$ 2.780.000,00 (dois milhões, setecentos e oitenta mil reais). “Uma obra tão aguardada pela população, que infelizmente não saiu do papel. Imagina essa duplicação concluída, como valorizará essa região, podendo trazer novos investidores, já que quem chega pelo aeroporto passa pela Bruno Martini, sem falar na questão de segurança ao trânsito, precisamos muito desse investimento”. Disse Célio.

A prefeitura de Sinop, por meio do Secretário municipal de Obras e Serviços Urbanos, Dalton Martini respondeu o requerimento, e encaminhou a Câmara Municipal no dia 25 de Junho. Segundo a administração a duplicação está paralisada e sem previsões para o reinicio da mesma. “Uma vez que não ocorreu a evolução da obra em conformidade com o cronograma físico-financeiro, não houve a renovação do prazo de vigência e execução do contrato”.

Ainda no documento, o próximo passo por parte do executivo, seria abrir uma nova licitação. “Esclarecemos que estamos readequando o Projeto Técnico de Engenharia para submetermos ao órgão financiador (Caixa Econômica Federal), para que o mesmo autorize a administração a elaborar um novo processo licitatório”.