Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 03 de Março de 2024

Menu

Eleições 2024

Pesquisa mostra candidatos favoritos para Câmara de Sinop

Eleitores apontam em quem pretendem votar no próximo pleito municipal

Política | 29 de Novembro de 2023 as 06h 30min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Assessoria

O GC Notícias, em parceria com a RealTV/Record e a Rádio Jovem Pan divulgam a primeira pesquisa de intenção de votos para vereador em Sinop. O levantamento, na modalidade espontânea, foi realizado pelo Instituto MKT, entre os dias 9 e 20 de novembro. Foram entrevistados, pessoalmente, 710 eleitores de Sinop, em 23 diferentes macrorregiões da cidade. A margem de erro da pesquisa é de 3,6% para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.

A grande maioria dos eleitores ainda não sabe em quem vai votar. Os 67,46% dos entrevistados Não Sabem ou Não Responderam. O percentual alto é considerado normal na modalidade espontânea, em que a lista dos pretensos candidatos não é apresentada.

Em primeiro lugar na amostragem, o nome mais lembrado foi de Adenilson Rocha (PSDB). O vereador de segundo mandato recebeu 2,39% dos votos. Na sequência vem um dos veteranos do legislativo municipal, Ademir Bortoli (REP), com 1,97%.

Bortoli está empatado com Gilson de Oliveira, também com 1,97%, apresentador de televisão que já foi vereador, deputado estadual e vice-prefeito de Sinop. No pleito de 2020 ele concorreu a uma cadeira, mas acabou apenas como primeiro suplente do PL, que emplacou 3 vereadores na atual legislatura – nenhum deles abriu espaço para Gilson assumir.

O terceiro lugar na pesquisa ficou com Celsinho do Sopão (REP), vereador de primeiro mandato, que tem sua base eleitoral na “região dos Vilas”, como é denominada a porção da cidade formada por diversos empreendimentos habitacionais populares.

Na sequência, 1,55% dos eleitores declararam que vão votar em Branco ou vão anular o voto. É o mesmo percentual que pretende votar em Moises do Jardim do Ouro (PL), vereador de primeiro mandato. Hedvaldo Costa (PL), que está no seu quarto mandato, recebeu 1,41% das intensões de voto. O ranking segue com outro vereador de primeiro mandato, Célio Garcia (DEM), atual líder do prefeito Roberto Dorner na Câmara.

Fechando o “top 10” estão 3 nomes com 0,70% das intenções de voto, que não são vereadores, mas já ocuparam cargos públicos: o ex-prefeito e ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB), a ex-vereadora e atual coordenadora de Cultura, Professora Branca (PL), e Professora Clara (DEM), que já assumiu temporariamente uma cadeira no legislativo na condição de suplente. Toninho Bernardes (PL), vereador de primeiro mandato, também somou 0,70%.

Da atual legislatura, apenas Juventino Silva (PSB), não recebeu nenhum voto na pesquisa espontânea. Os vereadores Lucinei (MDB) e Luis Paulo da Gleba (PROS), marcaram 0,14% - o que equivale a 1 votos entre os 710 entrevistados ouvidos.

No total, 98 nomes de candidatos foram lembrados pelos eleitores.

O GC Notícias já divulgou a avaliação do Governo Estadual e Federal, medidas pela pesquisa. Amanhã, quinta-feira (30), será noticiado a avaliação da gestão municipal e intenção de voto para as eleições de 2024.

Perfil de quem respondeu

A amostra de eleitores entrevistados pelo Instituto MKT acompanha o perfil da população de Sinop identificada pelo Censo do IBGE.

Quanto à formação, 42,11% dos entrevistados tem ensino médio, 20,7% ensino fundamental e 17,46% ensino superior. O restante tem ensino superior incompleto, sem escolarização ou analfabeto.

Quanto à religião, 50% são católicos, 29,3% evangélicos, 17,46% acreditam em Deus, mas não possuem uma religião. Os menos de 3% restantes exercitam outras religiões ou são ateus.

Já com relação à renda, 41,8% ganham entre 1 e 3 salários mínimos por mês. 32,5% recebem de 3 a 5 salários mínimos e 15,2% de 5 a 10 salários mínimos. Os 6,5% recebem mais de 10 salários e 3% menos de 1 salário mínimo.