Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 14 de Julho de 2024

Menu

Na bronca

Geller rejeita retornar ao Mapa com Fávaro e fala de traição

Política | 10 de Julho de 2024 as 18h 38min
Fonte: Redação

Foto: Divulgação

Ex-secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller (PP), afirmou que não voltará ao Ministério da Agricultura e Pecuária, enquanto o ministro Carlos Fávaro (PSD). Segundo ele,  o ex-amigo ‘não conta mais com ele’.

“Não volto em nenhuma hipótese [para o Ministério da Agricultura]. Com todo respeito, eu quero que o Fávaro, que eu conheço há 30 anos, faça um bom trabalho. Mas comigo ele não conta mais. No Ministério da Agricultura enquanto estiver sob o comando do ministro Fávaro eu não volto”, disse Geller durante entrevista à rádio Jovem Pan Cuiabá nesta quarta-feira (10).

A declaração ocorre após Fávaro ter repetido em diversas entrevistas, que Neri Geller poderia retornar ao governo após a conclusão das investigações envolvendo o leilão de 300 mil toneladas de arroz, anulado pelo governo federal após suspeita de irregularidades.  Neri Geller foi demitido após o episódio.

“Não sai atirando em ninguém e o Fávaro não agiu de má-fé, mas ele não agiu correto comigo. Como parceiro dele, como secretário de Política Agrícola, quem tem serviço prestado, quem não se omitiu e chamou a responsabilidade. Eu falei pro Fávaro: vamos conversar, eu assumo a responsabilidade”, lembrou.

“Não tem nada de erro, nada de ilegal, se tivesse problema eu mesmo pediria para se afastar. Mas esse leilão não tem vinculo com a secretaria de Política Agrícola. Primeiro foi ele que conduziu o processo, depois o recurso não era nossa [da Agricultura]. Eu apenas dei os dados”, completou.

Geller afirmou ainda que já foi chamado para retornar ao governo federal. Contudo, ele afirmou que neste momento, prefere voltar para casa e cuidar dos seus negócios. Porém, deixou aberta a porta para uma possível volta em outra pasta.

Neri Geller foi demitido do cargo após a divulgação de suspeitas de irregularidade no leilão, pelo fato de uma das empresas vencedoras ser comandada pelo seu ex-assessor parlamentar, que é sócio de seu filho em outra empresa. Após a crise, Neri Geller foi demitido pelo ministro Carlos Fávaro.