Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Quarta Feira 18 de Maio de 2022

Menu

Política

Ex-juiz pretende lançar candidatura a deputado estadual

Clóvis de Mello foi convidado pelo cacique do extinto DEM para alçar uma cadeira na Assembleia

Eleições 2022 | 09 de Março de 2022 as 17h 14min
Fonte: Jamer

Foto: GC Notícias

O ex-juiz da comarca de Sinop, Clóvis Mário Teixeira de Mello, pode ser a novidade das eleições 2022 no seu município. O magistrado aposentado foi convidado pelo ex-governador Júlio Campos para disputar uma das cadeiras da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. O convite do cacique do extinto DEM ocorreu na manhã desta quarta-feira (9). “Ele [Campos], me ligou e falou sobre minha possível candidatura para deputado estadual, na cidade de Sinop”, conta Clóvis de Mello.

A pretensão de Campos é que o ex-magistrado engrosse as fileiras do União Brasil – partido criado a partir da fusão do DEM (antigo PFL), com o PSL (partido que encubou a eleição do presidente Jair Bolsonaro). O plano do União Brasil é viabilizar 9 candidaturas a deputado federal e 25 para deputado estadual, além do projeto de reeleição do governador Mauro Mendes.

Para o ex-juiz o convite despertou interesse, mas a concorrência com outros candidatos não agradou. Mello disse que a candidatura do próprio Júlio Campos para deputado estadual tornaria seu ingresso na política sem objetivo. “Ainda preciso falar com a família, avaliar os prós e contras dessa decisão, além da questão que envolve bancar uma campanha. Mas nesse momento digo que tenho interesse em ser candidato. Se tiver apoio, sou candidato”, declarou.

Mello iniciou a sua carreira na magistratura no ano de 1996, no município de Pontes e Lacerda. Depois foi transferido para Primavera do Leste e em 1999 veio para Sinop, onde atuou como juiz até março de 2020, quando se aposentou. Atualmente Mello atua como advogado.

 

E os Dal’Bosco?

Desde antes do PFL virar DEM e do DEM virar União Brasil, em Sinop quem oferece o nome do candidato a deputado estadual pela sigla é a família Dal’Bosco. A tradição começou com Dilceu Dal’Bosco, no ano de 2002, quando foi eleito para Assembleia Legislativa e reeleito 4 anos depois. Quando Dilceu se afastou para ser candidato a vice-governador, quem ocupou o posto de candidato pelo DEM no colégio de Sinop foi seu irmão, Dilmar Dal’Bosco. Dilmar conclui em 2022 seu terceiro mandato na casa de leis.

Antes mesmo do convite de Campos ao ex-juiz, Dilmar já demonstrou um certo descontentamento com o União Brasil. Na segunda-feira (7), em entrevista ao Olhar Direto (clique aqui para ler), Dilmar reclamou da direção do partido e disse que pode deixar a sigla. A queixa referia-se ao privilégio que a nova sigla estava dando para a candidatura de secretários estaduais, que estariam utilizando o poder da máquina pública para potencializar suas campanhas. “Pessoas que estão usando o partido, secretários que não definem, uns que querem sair. Nos momentos difíceis eu estava apoiando e acreditando no governo. Agora tem secretário utilizando toda a estrutura do estado no interior, trocando voto, principalmente na minha região”, declarou Dilmar no site da capital.

Dilmar também lembrou que a fusão do DEM com o PSL não deixou o partido mais forte na Assembleia, visto que os 4 deputados do PSL abandonaram a sigla após a união. Bosco atribui a debandada a uma falha na direção do União Brasil no Estado.