Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Terça Feira 17 de Maio de 2022

Menu

Política

Com voto contra do PT, dono da Havan recebe titulo de cidadão Sinopense

Vereadora petista listou crimes e condenações do empresário para justificar o seu voto

Sinop | 04 de Abril de 2022 as 17h 23min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

O mega empresário, dono de um império varejista, Luciano Hang – popularmente conhecido na internet como “Velho da Havan”, é o mais novo cidadão honorário de Sinop. O título foi votado pela Câmara de vereadores na tarde dessa segunda-feira (4). Ironicamente, o projeto teve 13 votos favoráveis e, como previsto, um voto contra.

O voto contrário veio da vereadora Graciele Santos, a única integrante do PT na casa de leis. “Para além do personagem caricato, folclórico e tosco desse cidadão, mora um notório criminoso”, declarou a vereadora.

Para justificar seu voto, Graciele listou os crimes e condenações que recaem sobre o empresário. A vereadora citou uma condenação no ano de 2002 por reduzir as contribuições previdenciárias dos funcionários, provocando um prejuízo ao erário público de R$ 10,5 milhões. Nesse processo, Hang foi condenado a 3 anos e 11 meses de prisão. Em 2007, frisou a vereadora, o empresário foi condenado por sonegação fiscal, usando um primo como “laranja” para fazer remessas ilegais ao exterior (2 anos e 6 meses de condenação). A “ficha corrida” apresentada pela vereadora também lembrou do processo em 2008, quando Hang foi condenado a 13 anos de prisão por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Graciele também listou o escândalo do Pandora Pappers, em 2021, documentos que revelaram que Hang manteve por mais de 20 anos uma empresa em um paraíso fiscal, abarcando para o exterior mais de R$ 416 milhões, e a coação aos funcionários, em 2018, para que votassem em Jair Bolsonaro, mediante ameaça de demissão. “Quem votar favorável a esse título está sendo favorável a toda essa ficha corrida”, provocou a vereadora.

O autor do projeto, Paulinho Abreu, partiu em defesa da proposta. Segundo ele, qualquer título de cidadão sinopense que entra na casa de leis precisa apresentar as devidas certidões estaduais negativas – documento que atesta a regularidade do homenageado junto a justiça. Por fim, Paulinho devolveu a “pedra” arremessada por Graciele. “As condenações não implicam na importância dos investimentos que ele faz, no país e em Sinop. É curioso a senhora falar de condenações sendo que apoia um candidato a presidente que foi notoriamente preso e condenado”, rebateu, fazendo referência ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Havan em Sinop foi inaugurada em 2013, gera 200 empregos diretos no município e nesse momento passa por uma ampliação.