Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 21 de Abril de 2024

Menu

Política MT

Cinco deputados de MT assinam pedido do impeachment de Lula

Os representativos legislativos na Câmara Federal; José Medeiros, Amália Barros, Abilio Brunini, Coronel Fernanda e Coronel Assis manifestaram nas suas redes sociais a assinatura do pedido realizado pela deputada federal Carla Zambelli (PL-SP)

Política | 20 de Fevereiro de 2024 as 16h 16min
Fonte: Redação PP

Foto: Divulgação

Dos 8 deputados federais de Mato Grosso, 5 assinaram o pedido de impeachment contra o presidente Lula, após ele ter comparado o Holocausto com a guerra entre Israel em Gaza e ser considerado “persona non grata” por Israel.

deputados federais

Nas redes sociais os deputados que assinaram o pedido manifestaram aos seus apoiadores. (Foto: Reprodução)

José Medeiros (PL), Amália Barros (PL), Abilio Brunini (PL), Coronel Fernanda (PL) e Coronel Assis (União) manifestaram nas suas redes sociais a assinatura do pedido realizado pela deputada federal Carla Zambelli (PL-SP). Os deputados Gisela Simona (União), Juarez Costa (MDB) e Emanuelzinho (MDB) não se manifestaram sobre o pedido.

Até o fechamento dessa reportagem 113 deputados federais já haviam assinado o documento.

 

Relembre a fala do presidente Lula

Sobre o conflito entre as regiões, em entrevista coletiva durante viagem oficial à Etiópia no fim de semana, Lula classificou as mortes de civis em Gaza como genocídio, criticou países desenvolvidos por reduzirem ou cortarem a ajuda humanitária na região e disse:“O que está acontecendo na Faixa de Gaza com o povo palestino não existiu em nenhum momento histórico. Aliás, existiu quando Hitler resolveu matar os judeus”. Lula, presidente do Brasil

Em meio à crise diplomática, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, convocou o embaixador israelense no país, Daniel Zonshine, para uma reunião no Palácio Itamaraty. Além disso, mandou o embaixador brasileiro em Israel, Frederico Meyer, voltar de Tel Aviv para o Brasil.

Conforme comunicado do Itamaraty, as medidas foram tomadas “diante da gravidade das declarações desta segunda-feira do governo de Israel”.

 

O que dizem os outros países

Nesta terça-feira (20), os Estados Unidos vetaram pela terceira vez uma proposta de resolução do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas). A proposta redigido pela Argélia exigia um cessar-fogo humanitário imediato.

Treze membros do conselho votaram a favor do texto. O Reino Unido se absteve.

Vele lembrar que na segunda-feira (19), a agência Reuters chegou a comunicar que os EUA (Estados Unidos) pela primeira vez iria propor um texto com um pedido de cessar-fogo.

 

Entenda o conflito

Israel e a Palestina disputam território há décadas. Conforme um dos registros mais antigos, de 1947, a Nações Unidas havia proposto a criação do estado judeu e outro árabe, na Palestina, mas sob o comando britânico.

Assim, Israel foi reconhecido como país, no entanto, a disputa por território foi acirrada e, mesmo com várias tentativas de acordos de paz, nenhum teve sucesso.