Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 24 de Setembro de 2021

Política

Agro ganha frente de representação na Assembleia

Deputado eleito por Sorrisso, capital da Soja, preside a Frente Parlamentar

Agro é pop | 26 de Maio de 2021 as 12h 04min
Fonte: Redação

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso instalou nesta terça-feira (25), a Frente Parlamentar da Agropecuária. Essa representação política setorizada, que agrupa deputados, tem como objetivo debater em conjunto com sociedade civil, entidades representativas e órgãos públicos as demandas dos setores produtivos e propor políticas públicas relacionadas às áreas ambiental, comercial e tributária no estado. 
A frente parlamentar é presidida pelo deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC), que tem em Sorriso, a capital da soja, o seu domicílio eleitoral. Os demais membros são Dilmar Dal Bosco (DEM), Valmir Moretto (Republicanos), Nininho (PSD) e Gilberto Cattani (PSL).  
“Existem várias questões socioeconômicas e ambientais, que envolvem a cadeia da agropecuária no estado, sendo debatidas em outras comissões da Assembleia Legislativa. O objetivo desse colegiado é aprofundar esses estudos para, principalmente, agilizar a elaboração de soluções. O setor produtivo de Mato Grosso depende dos resultados desse trabalho para avançar na economia”, afirmou o presidente. 
Dentre as prioridades para agenda de discussões, Xuxu citou a questão da infraestrutura que segue como uma das principais preocupações, mas ele também destacou a crise hídrica que o estado enfrenta e que pode comprometer as próximas safras, além das questões ambientais que impactam na competitividade dos produtos nos mercados estrangeiros. “A palavra de ordem é sustentabilidade, mas também precisamos melhorar o custo Brasil e o custo Mato Grosso, que pesam sobre preço final dos produtos e encarecem os alimentos que chegam ao povo”, defendeu. “Não adianta Mato Grosso ficar cada vez mais rico, ver crescer a arrecadação, se o povo esta ficando cada vez mais pobre. E, alimento caro realmente faz a diferença lá na ponta e o povo sofre”, concluiu.
“Esse é um colegiado muito importante porque vai debater em conjunto com a Câmara do Deputados e o Senado para tratar sobre as questões macro, principalmente sobre a elaboração das legislações”, destacou Dal Bosco. Ele citou questões como a criação do zoneamento socioeconômico ecológico, a lei do pantanal e as mudanças na lei do licenciamento ambiental, como temas que precisam ser discutidos em conjunto nas esferas estaduais e federais, além das autoridades competentes e sociedade organizada para aprimorar a legislação estadual e fomentar o desenvolvimento econômico e social sustentável dos setores produtivos.
Organizações como o Fórum Agro, Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio-MT), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e  Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), declararam apoio à instalação da Frente Parlamentar.