Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Quinta Feira 02 de Dezembro de 2021

Polícia

Travesti usa faca para ameaçar 'cliente' e obriga fazer pix de R$ 4 mil

Vítima denunciou caso à Polícia Militar que identificou e prendeu acusada em flagrante.

Ameaça | 24 de Novembro de 2021 as 06h 21min
Fonte: Repórter MT

Foto: Reprodução

Uma travesti de 31 anos foi presa pela Polícia Civil após gravar o ato sexual entre um homem e outra garota de programa e chantageá-lo a realizar um Pix de R$ 4 mil para não divulgar as imagens. O caso foi registrado em um motel na região do Zero KM, em Várzea Grande.

De acordo com a Polícia Civil, a Delegacia de Especializada de Roubos e Furtos (Derf) informou que o crime ocorreu na madrugada do último sábado (20), no bairro Jardim Potiguar.

O homem foi até um bar da região e combinou o programa, com uma mulher de 19 anos. Ambos acertaram os valores e foram para um motel.

Depois de um tempo, a travesti chegou no local e passou a filmar o ato entre os dois. Logo em seguida, ela pegou uma faca e ameaçou o homem. A acusada o chantageou, afirmando que divulgaria os vídeos caso ele não fizesse uma transferência no valor de R$ 4 mil.

O cliente argumentou que não tinha a quantia total em conta bancária. Porém, acabou fazendo a transferência via PIX no valor de R$ 2,3 mil, e em seguida pagou o motel e o programa sexual. Ao sair do estabelecimento, a vítima compareceu na Derf de Várzea Grande para registrar um boletim de ocorrência.

Diante das informações, a equipe policial passou a apurar o crime e por meio de imagens de câmeras de segurança instaladas nas proximidades dos fatos, conseguiu identificar a autora do roubo, que também foi reconhecida por foto.

Os policiais civis tiveram acesso ao documento do cartão, comprovando a transferência no valor de R$ 2,3 mil feito durante a madrugada.

Com base nos indícios e provas, ela foi localizada e encaminhada até a Derf de Várzea Grande. Ao ser interrogada, ela alegou que a houve um desacerto entre eles e o valor transferido era referente a outros dias em que haviam saído com o cliente.

Depois de ouvida, a suspeita foi presa pelo crime de roubo.

Por possuir registro civil alterado para nome feminino, ela foi autuada com o atual nome conforme consta nos documentos.