Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Terça Feira 16 de Abril de 2024

Menu

Associação criminosa

Quadrilha que produziu mais de R$ 10 milhões em notas falsas é presa em hotel de Cuiabá

Suspeitos já haviam aplicado um golpe em fevereiro e se hospedaram na suíte presidencial do mesmo hote

Polícia | 21 de Março de 2024 as 13h 18min
Fonte: Redação G1-MT

Foto: Polícia Civil de Mato Grosso

Quatro suspeitos de montar um laboratório de falsificação de dinheiro e aplicar golpes, foram presos em flagrante em um hotel em Cuiabá, na terça-feira (19). A quadrilha era composta por três homens, de 58 anos, 59 e 45 anos e a mulher de 54 anos, naturais do Distrito Federal (DF) e de Goiás (GO).

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos já haviam aplicado um golpe em fevereiro e se hospedaram na suíte presidencial do mesmo hotel. No quarto, foi flagrado o laboratório improvisado para falsificação de cédulas de R$ 200 e as equipes apreenderam tinta, equipamentos, fitas e vasilhames usados na falsificação.

Às equipes, um dos suspeitos disse que havia cerca de R$ 10 milhões em notas falsas em uma das malas apreendidas em fevereiro. Os investigados foram presos em flagrante por associação criminosa e estelionato tentado e serão encaminhados para audiência de custódia.

O grupo pedia que as vítimas deveriam fazer o pagamento a título de comissão, em espécie — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso

O grupo pedia que as vítimas deveriam fazer o pagamento a título de comissão, em espécie — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso

 

A investigação

Na terça-feira (19), os policiais foram até o hotel e passaram a monitorar os suspeitos. Dois deles são alvos de um inquérito instaurado pela delegacia especializada e um dos suspeitos fez uma reserva no hotel e pagou em dinheiro a estadia na suíte presidencial.

A equipes abordaram os suspeitos e um tentou fugir, mas foi preso em uma loja. Também foram apreendidos dois veículos usados pelos suspeitos.

 

Como funcionava o golpe?

Segundo o delegado Marcelo Menezes, o golpe aplicado pelos investigados consiste no oferecimento de empréstimos utilizando o BNDES, além de outros investimentos com juros abaixo da média.

Dois suspeitos ficavam na suíte, enquanto outro ficava na recepção do hotel observando a movimentação. Durante a investigação, as equipes perceberam que uma vítima chegou no estabelecimento e foi recebida por um dos suspeitos, sendo levada à suíte e depois desceram para o saguão.

O grupo pedia que as vítimas deveriam fazer o pagamento a título de comissão, em espécie.