Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Quarta Feira 18 de Maio de 2022

Menu

Polícia

Polícia Civil descarta estupro de adolescente em praça de Cuiabá

O fato foi denunciado no dia 08 de fevereiro quando a menor disse ter sido abordada e estuprada por dois homens

Investigação | 17 de Março de 2022 as 07h 45min
Fonte: Assessoria

Foto: Assessoria

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), descartou a possível ocorrência de estupro praticado contra uma adolescente, em uma praça na região central de Cuiabá. 

O fato foi denunciado no dia 08 de fevereiro, quando a adolescente e sua mãe foram até o Plantão de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica e Sexual de Cuiabá. Conforme o relato, a menor teria sido abordada por dois homens na Praça Rachid Jaudy, na Avenida Isaac Póvoas, e levada para um espaço onde teria sido estuprada. 

Assim que foi acionada sobre os fatos, a equipe da Deddica iniciou as investigações e apurou informações incompatíveis com a versão apresentada pela menor. Em análise das câmeras de segurança da região, a adolescente não foi vista em nenhuma das imagens da praça, onde disse ter sido abordada, 

Conforme o delegado da Deddica, Clayton Queiroz, a garota disse ainda que após ser estuprada pelos homens, pegou um ônibus, por volta das 18h40, próximo ao Mercado Municipal, chegando às 19h10 no bairro Tijucal. 

“Porém, as investigações apontaram que a adolescente pegou um ônibus às 15h30 no centro da cidade para a região do Coxipó e depois outro ônibus, por volta das 18h40, para o bairro Tijucal, sendo os fatos apurados incompatíveis com a versão apresentada pela menor”, explicou o delegado. 

Diante da constatação, o delegado concluiu o inquérito e encaminhou o procedimento para a Delegacia Especializada do Adolescente (DEA) para apurar possível situação de ato infracional por denunciação caluniosa praticada pela adolescente.