Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sábado 13 de Julho de 2024

Menu

Caso Melissa

Pai fez 'racha' por mais de 25 km com o suspeito de matar a filha dele na BR-381

O autor do disparo foi indiciado por homicídio duplamente qualificado e por porte ilegal de arma de fogo

Polícia | 08 de Abril de 2024 as 10h 26min
Fonte: O tempo

Foto: Maicon Júnior / Arquivo pessoal / e PCMG /

O pai da menina Melissa Maria Ribeiro, de 6 anos, que morreu baleada durante uma briga de trânsito na altura do km 481, na rodovia Fernão Dias (BR-381), se envolveu em uma "disputa de racha" com o suspeito de atirar na filha dele. A competição se estendeu por cerca de 25 km, até o momento do disparo, na cidade de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. O responsável por atirar, um homem, de 44 anos, foi indiciado por homicídio duplamente qualificado e por porte ilegal de arma de fogo.

"Os motoristas corriam muito pela rodovia, com ultrapassagem em locais proibidos. Eles estavam em velocidade muito acima dos demais veículos", informou o delegado Ítalo Fernandes de Almeida, da Delegacia Especializada de Homicídios (DEH) em Contagem. A disputa não foi combinada, mas teve início a partir de um desentendimento entre eles na rodovia, segundo o responsável pela investigação.

A investigação foi concluída em março, e o autor dos disparos foi preso no último sábado (6 de abril). O pai da menina confessou ter ingerido bebida alcoólica, mas não foi responsabilizado criminalmente. O caso foi encaminhado ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que poderá pedir que investigação seja desmembrada, e o pai investigado por dirigir embriagado e em alta velocidade.

"No dia do crime não foi feito teste de barômetro ou outros exames. E ele confessou ter consumido bebida alcoólica muito depois. Além disso, não temos alguma comprovação de radar sobre o excesso de velocidade. Por isso não foi indiciado. Mas o maior prejuízo ele já teve, que foi a perda da filha dele", acrescentou o delegado.

 

Criança repreendida pela avó

Junto a menina de 6 anos, estavam no carro o irmão dela, de 3 anos, o pai e a avó. Durante a "disputa de racha", a menina teria brincado, dizendo: "motorista, pode correr, a Melissa não tem medo de morrer". A criança foi repreendida pela avó.

 

Caminhoneiro tinha passagens

O homem de 44 anos, autor do disparo, possui antecedentes criminas. São ocorrências de danos e ameaças, além de brigas de trânsito. "Quando fomos até a casa dele, a esposa disse ter ficado surpresa por ele ter posse de arma. Ela contou que ele é muito nervoso", afirmou.

 

Disputa de rachas

Segundo o inspetor Aristides Junior, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), disputas de racha acontecem nas rodovias que passam pelo estado, principalmente aos finais de semana. "É quando os motoristas fazem a combinação de álcool e direção, e se sentem mais encorajados. Quando algum deles está com arma de fogo, então, é ainda mais recorrente", contou.

O crime, segundo o inspetor, não se restringe apenas às rodovias. Segundo ele, também há registros dessas disputas no perímetro urbano. "São denúncias recorrentes, infelizmente não é algo raro", acrescentou.

 

O caso

O caso ocorreu no dia 21 de janeiro, na rodovia Fernão Dias (BR-381), em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. A menina de 6 anos chegou a ser socorrida para o Hospital Municipal, mas não resistiu. O disparo, segundo a polícia, atingiu carro em que ela estava com a família. O veículo foi periciado pela equipe da Polícia Civil.

 

O conflito

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado pela Polícia Militar na data do crime, a família retornava de um restaurante quando o carro em que eles estavam foi fechado por um Uno branco. O autor dos disparos estava neste veículo, conforme o registro.

Um dos disparos acertou a menina de 6 anos. O pai dela procurou uma viatura que estava próxima, que ajudou a abrir caminho até a chegada no Hospital Municipal de Contagem. Além da garota e do seu pai, uma outra criança de 3 anos e a avó delas estavam no veículo atingido pelos tiros.

O autor dos disparos fugiu, e foram feitas buscas para tentar localizá-lo.