Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 23 de Fevereiro de 2024

Menu

Tentou se esconder

Padrasto é preso pela 2° vez suspeito de estuprar enteada de 13 anos em MT

Segundo a polícia, a mãe do homem também foi presa suspeita de acobertar o crime

Polícia | 13 de Dezembro de 2023 as 13h 29min
Fonte: Redação G1-MT

Foto: Reprodução

O padrasto de uma adolescente de 13 anos foi preso, nessa terça-feira (12), suspeito de estuprar a enteada, em Barra do Garças. Segundo a Polícia Militar, essa é a segunda vez que o homem é denunciado pelo crime. O primeiro boletim de ocorrência foi registrado em outubro deste ano. A mãe do suspeito e a mãe da vítima também foram presas suspeitas de estarem envolvidas no caso.

A polícia informou que, quando receberam a denúncia, a adolescente estava escondida na casa de uma amiga, momento em que havia contado ter sido estuprada pelo próprio padrasto. O denunciante informou que o suspeito estaria escondido no Bairro Novo Horizonte, mas ele não foi encontrado no local.

Ainda conforme os militares, para conseguir prender o suspeito, eles se basearam na denúncia anterior e foram até a casa do homem. No local, a mãe do investigado contou que ele havia fugido para Manaus após o primeiro boletim de ter sido registrado, mas, ao buscar na casa, os policiais o encontraram escondido em um dos quartos do imóvel. O homem foi preso e conduzido à delegacia junto com a mãe, que tentou ocultar a fuga.

À polícia, a adolescente contou que a mãe a ameaçou para que não contasse os abusos sofridos pelo padrasto e que, caso denunciasse, ela destruiria a vida da vítima. Com isso, a mãe também foi presa. O A menina foi encaminha ao Conselho Tutelar, em seguida passou por cuidados médicos em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

Segundo a Polícia Militar, além do crime de estupro de vulnerável, o suspeito também tinha um mandado de prisão expedido pela Primeira Vara de Execução Penal de Manaus (AM), pelo crime de tráfico de drogas. O padrasto e a mãe da vítima devem responder por abuso infantil e manipulação familiar.