Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 01 de Março de 2024

Menu

Força-Tarefa

Operação cumpre mandados de prisão contra integrantes de facção criminosa em Sinop e Sorriso

Os policiais investigam integrantes de facções criminosas envolvidos em homicídios, torturas e tráfico de drogas

Polícia | 09 de Março de 2023 as 10h 34min
Fonte: Redação G1-MT

Foto: Christiano Antonnucci/Secom-MT

Uma força-tarefa entre Polícia Federal, Polícia Civil e Polícia Militar deflagrou a segunda fase da Operação Dissidência, nesta quarta-feira (8), para cumprimento de 12 mandados de prisão nas cidades de Sorriso , Sinop, Peixoto de Azevedo e Cuiabá. Os policiais investigam integrantes de facções criminosas envolvidos em homicídios, torturas e tráfico de drogas.

A primeira fase da operação, deflagrada no ano passado, prendeu 30 pessoas ligadas a grupos rivais, sendo 70 mandados de prisão e de busca e apreensão. Também foram efetuadas oito prisões em flagrante.

Os investigados presos nesta segunda fase respondem por crimes como integrar organização criminosa, tráfico e associação para o tráfico de drogas.

Durante as investigações, foi identificado que na região centro-norte do estado estava ocorrendo uma guerra entre duas facções rivais, o que elevou, de forma considerável, o número de homicídios na região.

O nome da operação se refere à rivalidade entre os integrantes da organização criminosa que não concordavam com o comando da facção em Sorriso, de acordo com a Polícia Federal. Por isso, eles saíram do grupo, que ocasionou aumento de homicídios no município.

Primeira fase da operação

Em agosto do ano passado, uma força-tarefa da Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar deflagrou a primeira fase da Operação Dissidência.

Em Sorriso, a polícia informou que a guerra entre facções pela disputa da venda de drogas havia aumentado em 450% o número de homicídios no município, com base em dados do mês de julho de 2022, o que levou os policiais a iniciarem as investigações na região.

Os mandantes dos crimes operavam de dentro do sistema penitenciário, de acordo com a polícia.