Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sexta Feira 23 de Fevereiro de 2024

Menu

Chacina de sorriso

Laudo desmente versão de assassino sobre estupro de menor

Material genético de Gilberto Rodrigues dos Anjos foi encontrado na menor de 13 anos

Polícia | 06 de Dezembro de 2023 as 06h 52min
Fonte: Mídia News

Foto: Reprodução/JK Notícias

O primeiro laudo de DNA concluído pela Politec (Perícia Oficial de Identificação Técnica), no caso da chacina de Sorriso em que mãe e filhas foram mortas, desmente a versão apresentada pelo assassino em depoimento.

O pedreiro Gilberto Rodrigues dos Anjos, de 32 anos, afirmou ter estuprado as vítimas usando apenas os dedos, mas o material genético encontrado na menor de 13 anos comprova a conjunção carnal.

Cleci Calvi Cardoso, de 46 anos, e as filhas dela, Miliane Calvi Cardoso, 19, e duas menores de 13 e 10 anos, foram brutalmente assassinadas pelo pedreiro.

Em depoimento, Gilberto confessou ter matado as quatro vítimas e ter estuprado três delas - as mais velhas - usando os dedos.

“O interrogado esclarece que não fez nada com o corpo da vítima menor; que quanto às outras três vítimas, o interrogado afirma que depois de tirar as roupas delas introduziu os dedos nas vaginas delas. [...] Questionado se introduziu o pênis em alguma das vítimas, o interrogado afirma que não”, diz trecho de documento.

O primeiro laudo foi concluído na sexta-feira (1) e desmente a versão apresentada em depoimento.

“O exame comprovou que o material genético coletado nas partes íntimas da vítima M.C.C., de 13 anos, é compatível com a amostra doada pelo suspeito”, diz trecho de nota.

Esse é apenas um dos laudos solicitados pela Polícia. Entre os outros estão a análise dos tufos de cabelo encontrados na mão da vítima de 19 anos e as roupas que Gilberto usou para cometer o crime.

 

O caso

As vítimas foram assassinadas entre a noite de sexta-feira (24) e a madrugada de sábado (25). Os corpos só foram encontrados na manhã de segunda-feira (27) pela Polícia.

O patriarca da família estava no Paraná a trabalho, e perdeu contato com elas desde a sexta-feira.

Gilberto Rodrigues dos Anjos foi preso na segunda, pouco depois de os corpos terem sido encontrados. Ele confessou a autoria e entregou à Polícia as roupas íntimas das vítimas, levadas por ele da cena do crime.

A mãe e as duas filhas mais velhas tiveram seus pescoços cortados, os ferimentos eram profundos. A filha mais nova foi asfixiada até a morte, com o auxílio de um travesseiro.

Além de matar as vítimas, o pedreiro teria abusado sexualmente delas.