Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sábado 02 de Julho de 2022

Menu

Polícia

Justiça nega habeas corpus a esposa e amante que mataram servidor

Segundo as investigações, a esposa de Edson e o amante dela simularam um latrocínio para matar a vítima

Crime premeditado | 09 de Dezembro de 2021 as 15h 34min
Fonte: Gazeta Digital

Foto: Arquivo Pessoal

A 1ª Câmara Criminal negou o habeas corpos do casal acusado de matar o servidor público Edson Vicente da Costa, 52, em novembro de 2020. Segundo as investigações, a esposa de Edson e o amante dela simularam um latrocínio para matar a vítima.

Em sua decisão, o desembargador Orlando Perri enfatizou que o casal simulou o "cometimento do crime de latrocínio para encobrir o real motivo dos representados, que era ceifar a vida de Edson para que pudessem usufruir das vantagens financeiras que tal ato lhes concederia, bem como retomar o relacionamento sobrestado para evitar que a suspeitas recaíssem sobre o casal".

A defesa alegou que não havia requisitos para manter a prisão preventiva e que o encarceramento poderia ser substituído por "medidas cautelares alternativas".

A investigação apontou que A. tinha um relacionamento extraconjugal com a esposa de Edson, e juntos eles planejaram a morte de Edson, para ficar com bens como a casa, carro e ainda receber o seguro de vida e pensão.

"(...) as circunstâncias concretas narradas ultrapassam o limite da normalidade, porquanto os representados, em tese, cometeram o crime de homicídio qualificado, cuja premeditação restou bastante evidenciada", diz trecho da decisão.