Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Quarta Feira 17 de Julho de 2024

Menu

Crime brutal

Delegada conta dinâmica da morte de jovem que teve corpo arrastado em Sinop

Antes de ser morta e ter o corpo arrastado por ruas de Sinop, a jovem Bruna de Oliveira, de 24 anos, teria se desentendido com o suspeito e foi atacada por ele, diz delegada

Polícia | 04 de Junho de 2024 as 14h 41min
Fonte: Redação PP

Foto: Reprodução

Na manhã desta terça-feira (4), a delegada Renata Evangelista, da Delegacia da Mulher de Sinop, a 503 km de Cuiabá, contou à reportagem a dinâmica do assassinato da jovem Bruna de Oliveira, de 24 anos – que, após ser morta, teve o corpo arrastado por uma moto na madrugada de domingo (2), na cidade.

 

A morte da jovem

O suspeito de cometer o crime é Wellington Honorato dos Santos, de 32 anos. Em depoimento à polícia, ele disse que estaria com Bruna em uma quitinete, localizada no bairro Parque das Araras, e usaram drogas e consumiram bebidas alcoólicas.

A delegada ainda informou, durante coletiva de imprensa, que os dois teriam se desentendido e, nesse momento, o suspeito teria partido para cima de Bruna, derrubando e enforcando a jovem, além de bater a cabeça dela no chão por várias vezes, até que ela perdesse os sentidos.

Ao perceber que ele poderia ter matado a jovem, o suspeito decidiu tirar o corpo da quitinete. Então, amarrou o corpo dela em uma motocicleta e o arrastou por cerca de três quadras.

 

Feminicídio

A delegada informou que o caso é investigado como feminicídio.

“A morte se deu em função dela ser mulher, da condição de sexo feminino e dele encarar ela com condições de menosprezo por ser mulher”, disse a delegada.

Ainda conforme Evangelista, Bruna e Wellington estariam saindo juntos há um tempo e, no dia do crime, ela foi até a quitinete se encontrar com ele.

O suspeito já possuía passagem criminal e respondia pelo crime de violência doméstica no estado de Alagoas, segundo a Polícia Civil.

Ele foi preso nessa segunda-feira (3), na cidade de Nova Maringá, a 392 km de Cuiabá.

Durante depoimento à delegacia de Sinop, ele também disse que estaria “surtado” e não se lembra do momento em que arrastou o corpo da jovem pelas ruas do bairro.

Após deixar o corpo da vítima em uma valeta, Wellington teria voltado para a quitinete e lavado o sangue que ficou no local, em uma tentativa de esconder as marcas do crime.

No momento, o suspeito ainda não passou por audiência de custódia. O caso segue sendo investigado.