Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sexta Feira 23 de Fevereiro de 2024

Menu

Alegou insanidade

Defensoria pede absolvição de ex-PM que matou advogada

Almir Monteiro dos Reis assassinou Cristiane Castrillon da Fonseca Tirloni na madrugada de 13 de agosto

Polícia | 25 de Outubro de 2023 as 12h 51min
Fonte: Mídia News

Foto: Reprodução

A Defensoria Pública de Mato Grosso pediu a absolvição do ex-PM Almir Monteiro dos Reis, de 49 anos, que matou a advogada Cristiane Castrillon da Fonseca Tirloni, de 48, em agosto deste ano.

A defesa alega o diagnóstico de esquizofrenia.

O laudo de sanidade mental é de 2016 e já teria sido usado pelo ex-PM como defesa em outros processos.

Cristiane foi estuprada, espancada e asfixiada até a morte na madrugada de 13 de agosto, um domingo. Almir foi preso em flagrante acusado de ter cometido os crimes.

O caso tramita na 12ª Vara Criminal de Cuiabá, após o juiz Wladymir Perri acatar a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE).

 

O crime

Cristiane e Almir se conhecerem poucas horas antes do assassinato, na noite do dia 12, no Bar do Edgare, na região da Arena Pantanal. Uma testemunha, familiar da vítima, a viu com vida pela última vez por volta das 23h30, quando foi embora do estabelecimento.

Almir saiu de casa com o carro da vítima, um Jeep Renegade, por volta das 8h da manhã. Cristiane já estava morta há pelo menos seis horas e foi colocada no banco do carona do veículo.

Um óculos escuro foi colocado em seus olhos para dissimular que ela estava morta. Entre 8h30 e 9h, o corpo dela foi deixado no parque.

Assim que abandonou o corpo de Cristiane, Almir pediu uma corrida de aplicativo e voltou para casa. Meia hora depois, ele recebeu uma mulher com quem se relacionava há pouco tempo. Esse era o tericeiro encontro dos dois.