Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Quarta Feira 17 de Abril de 2024

Menu

Notícias dos Poderes

‘‘Vamos discutir ideias, não o dinheiro’’

Notícias dos Poderes | 01 de Março de 2024 as 16h 43min

Nilson Leitão parece aqueles craques do futebol que mesmo estando anos afastado dos gramados, quando toca na bola tem o mesmo cacoete. Nesta sexta-feira (1), durante uma entrevista na Rádio Jovem Pan, o ex-prefeito e ex-deputado federal mostrou que conserva a habilidade para formular falas de efeito que cutucam um nervo exposto, do qual todos pensam mas ninguém fala. São aquelas frases que nas redações chamamos de “aspas” – afiados anzóis que pescam o jornalista e se transformam em manchetes para fisgar outros.

Nilson estava falando da eleição de 2024 em Sinop, com ênfase na pretensão do PSDB lançar candidatura própria para prefeito. Assunto corrente. Mas quando alguém diz que vai disputar a prefeitura, de imediato traz para cena o personagem rival, o candidato à reeleição, Roberto Dorner. Nilson não falou seu nome, porque sabe que não precisava. Estabelecido o cenário, construída a imagem mental, vem a mordida: “Nós vamos discutir ideias, não o dinheiro”, discursou o tucano.

Olhou para um lado e bateu no outro. Quando alguém começa a fazer uma lista dos pontos que favorecem a campanha de Dorner a reeleição, dois tópicos obrigatórios são: tem a máquina na mão e tem MUITO dinheiro. O prefeito é conhecido pelas suas posses e estar sentado na cadeira que comanda a 4ª economia de Mato Grosso não é pouca coisa. É claro que deve haver outros pontos fortes para campanha da reeleição, mas esses dois são evidentes. Quando Nilson toca nessa ferida é como se resumisse Dorner a esses dois pontos. É uma habilidade oratória... e muitos vão dizer que ele só falou verdades. Por aqui dizemos que Leitão bateu colocado e que o político perde o cargo, mas não perde a passada.