Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Terça Feira 28 de Junho de 2022

Menu

Geral

Usina ganha “folga” de 7 meses no financiamento do BNDES

Empreendimento foi aprovado no programa criado para ajudar as usina a enfrentar a crise hídrica

UHE Sinop | 10 de Novembro de 2021 as 18h 51min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Assessoria

A UHE (Usina Hidrelétrica de Sinop) é um dos 7 empreendimentos da Eletrobrás enquadrados no Programa de Stand Still, lançado em setembro pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). A unidade geradora teve sua adesão aprovada no final de outubro e a ata com a decisão foi publicada nesta terça-feira (9).

O programa Stand Still tem como propósito dar um “fôlego” extra para as usinas hidrelétricas enfrentarem a crise hídrica que ameaça o abastecimento energético do país. Empreendimentos hidrelétricos com capacidade instalada acima de 50 MW podem pleitear a suspensão das parcelas de seus financiamentos junto ao BNDES pelo período de 7 meses. A Eletrobrás, sócia da UHE Sinop pediu e o empreendimento foi alcançado pelo benefício.

Com isso, a usina de Sinop só vai precisar se preocupar com o boleto do BNDES em julho do ano que vem. “O objetivo principal da iniciativa é contribuir para que as empresas nacionais preservem liquidez diante da crise hídrica. A Sinop Energia segue cumprindo os contratos de comercialização e a usina opera normalmente, segundo despacho do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS)”, informou a Sinop Energia, concessionária da UHE Sinop, através da sua assessoria.

O contrato de financiamento da UHE Sinop com o BNDES foi firmado no dia 11 de agosto de 2017 – embora o primeiro dinheiro só tenha caído na conta da empresa 8 meses após o início das tratativas. Para colocar na obra, nos maquinários e também nos seus programas de mitigação de impacto, a Sinop Energia tomou junto ao BNDES R$ 1,046 bilhão. O saldo deveria ser amortizado em 240 parcelas, sendo a primeira em julho de 2018 e a última em julho de 2038 – com a prorrogação, fevereiro de 2039. O GC Notícias perguntou qual era o valor da parcela que seria atingida pela suspensão. A assessoria informou que o valor ainda será calculado e divulgado em meados de abril – seguindo as políticas internas do BNDES.

Conforme o balanço financeiro da UHE Sinop (que é público), no ano passado a empresa repassou para o BNDES R$ 24,4 milhões referentes a amortização da dívida. Outros R$ 92,3 milhões foram transcritos no balancete como despesas referentes aos juros do financiamento.