Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Domingo 03 de Março de 2024

Menu

Caso Roberto Zampieri

Suspeita de ser mandante de assassinato de advogado tem ação por disputa de terra em MT

Ela e o suspeito de executar a vítima forma presos em Minas Gerais, nesta quarta-feira

Geral | 21 de Dezembro de 2023 as 06h 48min
Fonte: Mídia News

Foto: Reprodução

A empresária mineira Maria Angélica Caixeta Gontijo foi presa pela Polícia Civil nesta quarta-feira (20), suspeita de ser a mandante do homicídio do advogado Roberto Zampieri.

Ela está envolvida em um processo de disputa de terras em Ribeirão Cascalheiras. Zampieri representava a parte contrária a Gontijo. 

A acusada de encomendar o crime foi presa em Patos de Minas (MG). Horas antes, a Polícia Civil havia prendido Antônio Gomes da Silva, que teria sido o executor.

O advogado foi morto com cerca de 10 disparos na noite do dia 5 de dezembro, em frente ao seu escritório no Bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá.

Maria Angélica consta em diversos processos no JusBrasil, dentre eles uma disputa de terras no município mato-grossense de Ribeirão Castalheira, que tinha Zampieri como um dos advogados da parte contrária.

No documento, Maria Angélica aparece como representante de seus pais, que teriam vendido a propriedade à autora do processo. Na petição, a proprietária da fazenda afirma que detém a área desde 2017, e desde 2021 vinha sendo ameaçada por Maria Angélica.

"Narrou-se na inicial que a demandada Maria Angélica Caixeta Gontijo ameaçou a autora (fato ocorrido a partir do dia 11 de novembro de 2021) e, após, convolou-se em turbação em virtude da destruição das cercas de divisa e remoção dos marcos demarcatórios da Fazenda Paraná, além da abertura de estrada e clareira, atos que comprometeram aproximadamente 05 hectares do imóvel rural".

"No dia 19 de junho de 2022 a parte autora juntou manifestação nos autos (ID 87754795). Informou-se que no dia anterior (18) “a ré enviou vários capangas armados e, rompendo a cerca de divisa da área da autora, adentrou em sua propriedade e ali iniciou a construção de uma estrada, [...]". 

"No dia 1º de setembro de 2022 a autora informou que no dia 31 de agosto “a ré enviou, novamente vários "funcionários" para o local do conflito e, rompendo outra cerca de divisa da área da autora, adentrou em outra porção de sua propriedade destruindo cercas e porteiras”, postulando, novamente, pela concessão da liminar para reintegra-la na posse".