Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 23 de Julho de 2024

Menu

Caso em investigação

Sucuri ícone de Bonito é encontrada morta; animal teria sido abatido a tiros

Causas da morte da serpente ainda são investigadas; identificação da cobra foi feita a partir das manchas pelo corpo

Geral | 25 de Março de 2024 as 15h 18min
Fonte: O tempo

Foto: Reprodução

Lembra da sucuri gigante filmada em vídeo com um biólogo holandês em um rio do Pantanal e viralizou no mês passado? Pois é, ela foi encontrada morta nesse domingo (24) às margens do rio Formoso, em Bonito (MS). Segundo o documentarista de vida selvagem Cristian Dimitris, o animal morto é o mesmo do vídeo que foi compartilhado pelo biólogo holandês Freek Vonk. “É revoltante”, escreveu.

As causas da morte da serpente ainda são investigadas. A identificação da cobra foi feita a partir das manchas delas pelo corpo - que são como digitais da espécie -, segundo Dimitrius.

A especialista em sucuris da USP Juliana Terra, que acompanhava o animal há 8 anos, também confirmou a identificação do animal. Juliana registrou eventos reprodutivos, gestações e filhotes da sucuri ao longo do tempo.

A cobra, que era símbolo da região, era chamada de Ana Julia. Há suspeita de que a cobra possa ter sido morta por tiros, mas a Polícia Militar Ambiental ainda vai investigar o caso. O corpo do animal estava completamente inchado.

A Prefeitura de Bonito lamentou o ocorrido e repudiou a morte da sucuri ‘Ana Julia’. “A relevância de um animal desse porte nas nossas áreas mostram o quão equilibrado o nosso ambiente está, porque um ambiente para suportar um animal topo de cadeia, como uma sucuri de quase 7 metros, precisa estar no mínimo equilibrado e essa atitude pessoal, de alguém que cometa um ato como este, é totalmente desprezível e vai contra tudo aquilo que a gente trabalha para em prol do meio ambiente. Então esperamos que as autoridades competentes consigam identificar os autores e punir os culpados”, afirmou.