Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Quarta Feira 27 de Outubro de 2021

Geral

Subestações móveis vão minimizar efeitos de temporais

Estrutura será usada nos trabalhos preventivos e emergenciais

Energia | 13 de Outubro de 2021 as 11h 30min
Fonte: Redação

Foto: Assessoria

Uma carreta com 23 metros de comprimento, carregando uma pequena central de energia. Essa é a estratégia da Energisa – concessionária de energia em Mato Grosso – para minimizar os impactos causados pelos temporais nessa época do ano.

A empresa está operando com 4 equipamentos do tipo. O sistema foi projetado para ser transportado a qualquer localidade e ser capaz de distribuir energia da mesma forma que um transformador fixo. O equipamento é utilizado para atendimentos emergenciais ou manutenções preventivas, garantindo abastecimento de energia até a conclusão dos trabalhos necessários.

“A subestação móvel é um equipamento que tem capacidade para suprir, sozinho, um município inteiro com até 50 mil habitantes. Assim, nossas equipes podem atuar em uma manutenção, melhoria ou expansão no sistema elétrico sem gerar interrupção no fornecimento”, explica Rodrigo Colombo, coordenador de manutenção da Energisa Mato Grosso.

Com 903.357 Km², o estado de Mato Grosso é o terceiro maior do Brasil em extensão. Para atender todos os 141 municípios com agilidade, a estratégia da Energisa é manter dois equipamentos em prontidão em Cuiabá e os demais sempre em circulação. Dessa forma é possível agir com flexibilidade na programação de manutenções preventivas, além de atuar com rapidez em caso de uma eventual emergência de falta de energia.

 

Desafios

Com o desenvolvimento acelerado do estado, o consumo de energia também tem aumentado, principalmente, em algumas épocas do ano. No período da seca, de maio a outubro, as temperaturas estão mais altas, há mais riscos de queimadas e tudo isso leva a maior demanda de energia. Esse quadro pode sobrecarregar o sistema elétrico e, em situações como essa, as subestações móveis são acionadas caso o fornecimento de energia seja comprometido.

“Acionamos esse equipamento para evitar transtornos para a população, principalmente nesse período de sazonalidade. Nas situações emergenciais, com as subestações móveis conseguimos reduzir o tempo de interrupções e restabelecer a situação mais rapidamente. Esse é um sistema que tem capacidade para receber a energia elétrica de alta tensão, converter para média e baixa tensão e distribuir para a cidade com segurança”, comenta Rodrigo.