Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 24 de Setembro de 2021

Geral

Sorriso recebe exposição “Trajetória”, de Adriano Ferreira

De 21 a 25 de julho, moradores dos municípios do norte de Mato Grosso poderão conhecer as obras do artista plástico

Arte | 22 de Julho de 2021 as 11h 00min
Fonte: Assessoria

Foto: Divulgação

Todos os elementos da natureza, em traços marcantes que dão característica ao trabalho do artista plástico mato-grossense Adriano Ferreira estarão presentes na exposição de arte “Trajetória”, que acontece esta semana, de 21 a 25 de julho, das 15h às 20h, no Condomínio Arboreto Eco Ville, em Sorriso (398 km de Cuiabá), e é aberta ao público.

A mostra contará tanto com obras inéditas, que estão sendo produzidas especialmente para o evento, quanto com as telas expostas nos Estados Unidos e Portugal e têm como perspectiva a beleza e a riqueza do cerrado mato-grossense, sua diversidade, sua gente, sua vegetação e toda a aleatoriedade em relação às outras regiões do Brasil.

“Vamos apresentar uma linha do tempo de toda a minha trajetória, com pinturas em técnica com tintas acrílica e óleo, nos moldes que dão característica aos nossos trabalhos ricos em elementos da natureza, com traços marcantes, que contornam os ícones da cultura local e destacam a religião e o calor do nosso estado”, ressalta Ferreira.

Segundo a diretora do Condomínio Arboreto Eco Ville, Luciane Francio, a admiração pelas obras emblemáticas do artista, que representam a fortuna cultural que circunda o Estado e sua dimensão social e simbólica, foi o fator determinante para receber a exposição. “Acreditamos na importância da arte como ponto que aguça nossos sentidos. Por isso, escolhemos o Adriano como referência para as obras feitas especialmente para o condomínio”, destaca.

Sobre Adriano Ferreira

Adriano Figueiredo Ferreira nasceu em Cuiabá e tem as curvas como fundamento de sua arte. Ele se utiliza de movimentos sinuosos para contar histórias. Com exposições importantes na Capital, ganhou notoriedade ao extrapolar os limites de seu estado expondo em Portugal, participando de duas coletivas em Miami, na Art Lab Galery, em São Paulo. Pelo Sesc expôs em Cuiabá e Rondonópolis. Artista selecionado no Salão Jovem arte Mato-grossense e para o Amazônia das Artes 2020, onde sua exposição "Convertendo em Curvas" vai circular por três estados brasileiros.