Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Segunda Feira 27 de Setembro de 2021

Geral

Primeiro jogo serve de evento teste para Segurança Pública

Expectativa é de que as disputas contra o Grêmio e Flamengo levem torcedores a aglomerar em bares no entorno da Arena Pantanal

Campeonato Brasileiro | 31 de Maio de 2021 as 09h 37min
Fonte: Débora Siqueira - Sesp-MT

Membros da Câmara Temática de Grandes Eventos Foto por: Assessoria-Sesp

O primeiro jogo do Cuiabá pelo Campeonato Brasileiro da Série A serviu como um evento-teste para as forças de segurança pública estadual, juntamente com o Juizado do Torcedor e de Grandes Eventos, Ministério Público, Defensoria Pública e a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob). O jogo foi uma preparação para jogos com expectativa de torcida no entorno da Arena Pantanal, como contra o Grêmio ou contra o Flamengo, marcado para os dias 20 de junho e 1º de Julho, respectivamente.

Mesmo com portões fechados ao público, a expectativa é de que os bares no raio de 5 km da Arena possam atrair público ou mesmo na entrada das equipes na Arena Pantanal. Para garantir a segurança do Brasileirão em Cuiabá, foi reativada a Câmara Temática para Grandes Eventos instituída na Secretaria de Estado de Segurança Pública, reunindo a Polícia Militar, Politec, Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros, Sistema Penitenciário, Poder Judiciário, Ministério Público Estadual, Defensoria Pública, Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) e a Semob. 

“Se tiver uma briga em um bar aqui da região e o pessoal está assistindo Cuiabá e Flamengo, por exemplo, é da nossa responsabilidade. Tudo que estiver relacionado ao jogo. Casos de Lei Seca, homicídios, briga de casal, mesmo no raio de 5 km do estádio já não entra na competência do Juizado”, explicou a juíza titular do Juizado do Torcedor e de Grandes Eventos, Patrícia Ceni.

O papel do Juizado do Torcedor envolve situações relacionadas ao evento na esfera civil, criminal e até do Juizado da Infância, como uma criança que possa se perder dos pais ou fugiu dos pais que estejam assistindo ao jogo em bares.

Em caso de portões abertos, o Poder Judiciário age em casos também sobre assentos vendidos. Se o torcedor comprou ingresso no setor Leste, mas o mesmo lotou e a pessoa não achou a cadeira, caberá a juíza entrar em contato com a organização para reacomodar o torcedor ou se a pessoa não quiser, o dinheiro é devolvido na hora.

Em caso de prisões de problemas relacionados aos jogos, seja com portões fechados ou abertos ao público, o preso é conduzido pela PM e é ouvido pelo delegado, passa pelo defensor público, depois o caso é analisado pelo promotor que propõe ou não transação penal. Depois é realizada audiência com a magistrada que decide sobre penalidade ou caso de orientação.

“Se não conseguirmos resolver a gente passa para a delegacia. Por exemplo, se uma pessoa cometeu crime de menor potencial ofensivo, mas tem mandado de prisão em aberto. Ele passa por nós, mas será encaminhado para a PJC e depois segue para audiência de custódia no Fórum”.

O exame de corpo delito é feito na própria Arena Pantanal, em uma unidade móvel do Instituto Médico Legal (IML) e a custódia dos presos é feito em um ônibus do Sistema Penitenciário, em que os policiais penais do Serviço de Operações Especiais (SOE) fazem a guarda. 

“Essa integração é importante e serve de experiência para todos nós. Há muito tempo não tivemos isso: um evento de grande porte. Fomos ao Rio de Janeiro buscar know how a gente está mais tranqüilo porque está sem publico, mas precisamos estar preparados para os jogos contra os grandes públicos, ou caso tenha portões abertos ao público. A Segurança Pública está de parabéns, estamos espantados com essa gama de pessoas preparadas para todas as situações”, destacou o promotor de Justiça, Mauro Poderoso.

De acordo com o secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp, coronel PM Victor Fortes, a proposta é de mostrar o aparato da Segurança Pública e garantir a tranqüilidade no arredor da Arena Pantanal. “Essa simulação prepara a gente para os grandes jogos e demonstra que todos estamos juntos para realizar esse trabalho em prol da sociedade”. 

Próximo jogo do Cuiabá na Arena Pantanal será no dia 14 de junho contra o Atlético Goianiense.