Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Sexta Feira 01 de Março de 2024

Menu

Sinop

Prefeitura vai gastar R$ 2,7 milhões em ‘puxadinho’ do cemitério

Blocos para sepultamento vertical vão abrir 840 vagas, dando mais 140 dias de “vida” ao cemitério

Geral | 06 de Outubro de 2023 as 17h 55min
Fonte: Jamerson Miléski

Desenho arquitetônico do projeto que será construído Foto: Divulgação

A primeira vez que o GC Notícias noticiou que o cemitério municipal de Sinop estava perto da sua lotação foi em junho de 2015 (clique aqui para lembrar). Nesses últimos anos as diferentes gestões municipais tem feitos paliativos afim de aumentar a capacidade de sepultamento da estrutura. Agora, a gestão Roberto Dorner (PRB) prepara um novo “puxadinho” para o Cemitério Santo Antônio.

A nova tentativa de aumentar a vida útil do cemitério de Sinop vem através da concorrência pública 006/2023, que será aberta na próxima quarta-feira (11). O certame prevê a contratação de serviços de engenharia para a construção de um cemitério vertical dentro do já existente.

Conforme o edital da licitação, esse cemitério vertical terá 14 blocos, cada um com 5 níveis e 60 gavetas. Essa nova estrutura abrirá espaço para 840 sepultamentos – vagas que na atual demanda do cemitério municipal deverão ser preenchidas em 140 dias.

A informação está no argumento que a prefeitura lançou para contratar a obra. Na justificativa para a licitação, a gestão informa o cemitério registra mais de 6 sepultamentos por dia. O mesmo documento aponta que a média variável de enterros entre os meses de maio e julho de 2023 foi 79 – o que derruba a média diária anteriormente informada.

Na conta de 6 sepultamentos por dia, a estrutura que vai demorar 300 dias para ficar pronta (prazo contratual), será preenchida em 140 dias. Já se o número de enterros seguir a média variável descrita na justificativa, sua “vida útil” será mais longa, mas ainda assim inferior a um ano: 323 dias.

Ainda na justificativa a gestão informa a superlotação do cemitério e a dificuldade em expandir, alegando que a estrutura foi “abraçada” pela cidade e que no seu entorno está uma “reserva ambiental”, referindo-se ao imóvel que foi leiloado pelo município para iniciativa privada no ano de 2012. Sem espaço para crescer horizontalmente, argumenta a gestão, a alternativa foi a verticalização.

Os blocos de sepultamento vertical terão uma área construída de 2,1 mil metros quadrados. A estrutura guarda as normas técnicas necessárias, trazendo em seus projetos, por exemplo, tubulações e tanques sépticos para recolhimento do necrochorume – líquido altamente contaminante resultado da decomposição dos corpos.

A licitação é na modalidade menor preço. O valor teto estipulado pela gestão foi de R$ 2.779.367,83. Os primeiros levantamentos realizados apontaram um custo estimado em R$ 2,5 milhões, o que indica que há uma margem para disputa de preços entre as empresas interessadas. Até a tarde desta sexta-feira (6), o edital da concorrência havia sido baixado 34 vezes.

Caso os prazos de licitação, contratação e execução ocorram dentro do proposto pelo edital, o novo cemitério vertical dentro do velho estará pronto para o Dia de Finados... do ano de 2024.

O Cemitério Municipal foi instalado no ano de 1974 e atualmente conta com mais de 10 mil pessoas sepultadas.