Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Sábado 13 de Julho de 2024

Menu

Sinop

Prefeitura vai gastar R$ 1,8 milhão com shows no aniversário da cidade

São 7 atrações contratadas para o Festeja Sinop e Festival de Praia

Geral | 17 de Junho de 2024 as 17h 21min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Assecom

A prefeitura de Sinop publicou no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (17), os extratos dos contratos firmados com artistas e agenciadores para os shows que serão apresentados nas festividades do aniversário de 50 anos do município. São 7 atrações que custarão aos cofres públicos R$ 1.879.000,00. No ano passado, em 2023, a administração contratou 5 shows, ao preço de R$ 1,4 milhão.

O show mais caro é da Manu Bahtidão. A cantora paraense vai se apresentar no Festival de Praia no dia 15 de setembro ao custo de R$ 390 mil. Quem também vai se apresentar na beira do rio é o grupo Bonde do Forró, no dia 8 de setembro, cobrando R$ 165 mil pelos seus covers em versão “forró eletrônico”. Ainda para o evento “pé na areia” tem o show do pernambucano Marcynho Sensação, que 3 anos atrás estava tocando teclado nos barzinhos de Pilões (PB) e agora é contratado pela prefeitura por R$ 250 mil. Um passo importante da carreira de Marcynho foi a música/clipe “Revoada no Colchão”, que gravou com o cantor Zé Felipe, que também está na lista de pagamento do aniversário de 50 anos de Sinop.

O show do cantor goiano é o segundo mais caro da festa. Zé Felipe se apresentará no dia 6 de setembro, véspera de feriado, no Festeja Sinop. O seu show custa para prefeitura R$ 380 mil. Michel Teló, que já foi o maior cachê do país vai custar menos: R$ 330 mil. O ex-Tradição cantará no dia 13 de setembro. Na mesma data terá show de Teodoro e Sampaio, ao preço de R$ 245 mil. A apresentação mais barata do aniversário será do cantor católico Thiago Brado.

Os shows são contratados pela prefeitura de Sinop através de um dispositivo chamado inexigibilidade de licitação, quando se dispensa os ritmos convencionais da disputa entre fornecedores interessados, entendendo que tal serviço ou produto a ser contratado é “único” e portanto, não há como exercitar a concorrência.