Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Terça Feira 17 de Maio de 2022

Menu

Geral

Prefeitura lança licitação de R$ 621 mil para compra de lanches

Valor é 56% maior do que no ano anterior e 3 vezes e meia do valor que se gastava antes da pandemia

Sinop | 17 de Março de 2022 as 18h 25min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Assessoria

Enquanto a inflação geral de Sinop orbita na casa dos 10% nos últimos 12 meses, na despesa da prefeitura de Sinop com lanches, a projeção é de que a compra fique 56% mais cara. O certame é anualmente lançado no mês de março. Neste ano, em 2022, a estimativa da prefeitura de Sinop é gastar com essa finalidade, próximo do que foi gasto nos últimos 3 anos somados.

A compra foi lançada na terça-feira (15), através do Pregão 019/2022, cujas propostas serão recepcionadas pela comissão de licitação da prefeitura no final do mês, dia 31 de março. O edital prevê a compra de 20 itens alimentícios (basicamente lanches, petiscos e bebidas). O total orçado pela prefeitura de Sinop para essa compra é de R$ 621.841,91.

Em 2021 a gestão também lançou esse certame, com os mesmos 20 itens. O preço “teto” foi de R$ 402,6 mil. Apenas uma empresa apresentou proposta, fechando o pregão em R$ 398 mil. O valor estimado para esse ano é 56% maior.

Em 2020, antes de se tomar conhecimento da proporção que a pandemia tomaria, o departamento lançou esse pregão, que foi licitado em R$ 139,6 mil. Em 2019, quando o GC Notícias começou a acompanhar essa licitação (clique aqui para ler), o gasto foi de R$ 122,7 mil. Nos últimos 3 anos, a prefeitura licitou R$ 660 mil em lanches. Só a licitação desse ano é de R$ 621,8 mil – valor teto que pode ser reduzido de acordo com a concorrência no certame.

A licitação tem bolachas, bolos, cucas, sanduíches, salgadinhos, pão, pão de queijo, panetone, refrigerantes e sucos. Tudo em grandes proporções: 2.120 quilos de pão de queijo, 13 mil litros de refrigerante e 3,6 toneladas de salgadinhos (coxinha, pastelzinho, etc). Só com sanduiche natural, misto frio e x-salada a prefeitura espera gastar R$ 175 mil.

Na justificativa para compra, presente no edital, a prefeitura diz que “a licitação para aquisição de lanches, refrigerantes, sucos, salgados, bolos, pães, e bolachas se faz necessária para atender atividades vinculadas a congressos, seminários, mostras culturais, reuniões, treinamentos, entre outros eventos, e Desenvolvimento de Ações da Administração Municipal”.

O dinheiro para a compra de lanches sairá das secretarias de Educação, Saúde, Assistência Social, Finanças, Trânsito, Meio Ambiente, Administração, Governo, Desenvolvimento Econômico e do Gabinete do prefeito.

 

Mais comida

Além dos lanches, a prefeitura lançou hoje, quinta-feira (17), uma licitação para a aquisição de gêneros alimentícios: de abacate à alcatra bovina. A compra projetada está no Pregão Eletrônico 014/2020, cujas propostas serão recebidas no dia 4 de abril. Com o certame, a prefeitura espera gastar R$ 1.385.970,76. No ano passado, uma licitação idêntica foi finalizada pelo valor de R$ 1.282.450,00 – cerca de R$ 100 mil a menos, o que pode se repetir de acordo com as disputas entre fornecedores.

Essa licitação, que atende 13 secretarias, sendo a Assistência Social, conduzida pela primeira dama, o maior destinatário da compra, com R$ 351,7 mil. A justificativa da pasta é de que a comida atenderá aos programas sociais conduzidos pela secretaria. A segunda consumidora dessa compra é a secretaria de Obras, com R$ 295 mil em comida, que deve ser usada na preparação das marmitas para os servidores. Saúde e Educação, respectivamente, vem na sequência dos gastos – embora nessa compra de comida não esteja incluída a merenda escolar.