Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sexta Feira 23 de Fevereiro de 2024

Menu

Sinop

Prefeitura contrata construção de novo Hospital por R$ 42 milhões

Empresa contratada vai construir a unidade do zero, do projeto aos móveis

Geral | 15 de Dezembro de 2023 as 18h 39min
Fonte: Jamerson Miléski

A prefeitura de Sinop homologou nesta quinta-feira (14), o resultado do RDC (Regime Diferenciado de Contratação) 001/2023, que tem por objetivo contratar a empresa que irá erguer o novo hospital municipal, na região do grande São Cristóvão. A contratação inclui desde a elaboração dos projetos básicos até a construção e pré-operação da unidade.

A homologação foi publicada no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira. A vencedora do certame foi a DBN – Deboni Sistemas Construtivos, uma empresa com sede em Ivoti, no Rio Grande do Sul, aberta no ano de 2019. A empresa se propôs a construir a unidade por R$ 42.110.000,00 – cerca de R$ 5 milhões a menos do preço teto estipulado pelo edital da licitação.

O preço final da DBN é apenas R$ 600,00 menor do que o proposto pela segunda colocada do RDC. Apenas duas empresas participaram. Inicialmente, em abril desse ano, a DBN fez uma oferta de R$ 47.088.800,00 para executar a obra. A TCI Projetos de Construções, de Macapá (AP), propôs R$ 42.111.393,00. A prefeitura acabou fechando com a DBN pelo preço menor, ofertado pela TCI.

O Hospital será construído em uma área institucional, pertencente a prefeitura, entre os bairros Vila Itália e Menino Jesus 1. É uma das regiões mais carentes da cidade. O prédio terá 4.212 metros quadrados de área construída. Conforme o edital, o Hospital deve contar com ambulatório, diagnóstico por Imagem, Observação/Recepção paciente regulado, leito de internação adulto, pediátrica e psiquiátrica, Bloco Cirúrgico, Central de Material Esterilizado, Administrativo, Serviço de Nutrição e Dietética, Processamento de Roupa, Unidade de Gases Medicinais, Almoxarifado e Farmácia Central, Necrotério, Subestação, Abrigo de Resíduos e Vestiário.

Segundo a gestão municipal, “o novo hospital atenderá a necessidade de atendimento especializado e realização de procedimentos e exames, bem como acolhimento e internações adequadas aos usuários do Sistema, além de dar melhores condições de trabalho aos servidores da Saúde Municipal”.

A gestão justifica a contratação explicando que entre janeiro a agosto de 2022, a UPA registrou total de 3.551 internações para procedimentos, tratamentos ou encaminhamentos para outras Unidades, o que representa uma média de 444 mensais. O modelo de UPA foi implementado para que o paciente passe, no máximo, 24 horas na unidade. Em Sinop, a estrutura acaba atuando como um hospital, com leitos improvisados. A proposta é de que a gestão de saúde consiga dar vazão aos atendimentos na UPA, transferindo os pacientes que precisam de internação para o novo hospital. “Em média, cada paciente que é internado na UPA fica 5 dias somente aguardando a transferência para uma unidade com capacidade e infraestrutura. Em alguns casos, a espera por transferência é superior a 100 dias”, relata a gestão no edital do RDC.

No seu processo para disputar a licitação, a DBN apresentou uma amplo acervo técnico e credenciais. A empresa já construí mais de 100 unidade em diferentes Estados, entregando importantes estruturas para universidades no Rio Grande do Sul.

Assim que a prefeitura concluir o RDC, firmar o contrato e emitir a Ordem de Serviço, a DBN terá 360 dias para elaborar os projetos, construir o novo hospital, testar e entregar a chave para Gestão Municipal, com tudo funcionando. A velocidade da obra é explicada pelo método construtivo adotado. O prédio será construído com módulos “Fast-Flex”, que utiliza blocos pré-produzidos, agilizando a infraestrutura e permitindo flexibilidade para futuras ampliações.

Abaixo, a planta “esboço” de como deve ser o novo hospital.