Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Domingo 21 de Abril de 2024

Menu

Economia

Preço dos alimentos dispara em Sinop no mês de janeiro

Alta geral empurra a inflação e deixa a cesta básica mais cara

Geral | 23 de Fevereiro de 2024 as 15h 14min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Divulgação

O custo da alimentação foi o grupo de consumo com maior aumento de preços na cidade de Sinop no mês de janeiro. É o que mostra o levantamento realizado pelo departamento de Economia da Unemat em parceria com a CDL Sinop – que monitoram a inflação local desde 2013.

No relatório publicado nesta sexta-feira (23), o departamento aponta uma inflação geral de +0,51% no mês de janeiro – um pouco menor do que a registrada em dezembro, quando o indicador foi de +0,71%. Na média nacional, a inflação de janeiro, medida pelo IPCA, foi de +0,42%. No acumulado dos últimos 12 meses, a inflação de Sinop é de 4,01% - virtualmente dentro de meta do Banco Central.

O que mais impactou os preços ao consumidor em Sinop foi o custo dos alimentos. O grupo, que responde por 23% da cesta de consumo local teve um aumento médio de +1,52% no último mês. O impacto inflacionário não foi maior devido a uma redução nos preços no segundo grupo mais representativo da cesta de consumo, Transportes, que teve um recuo de -0,41%. Comunicação também teve deflação: -0,32%.

Os demais grupos tiveram alta. As maiores foram em Saúde (+0,72%) e Despesas Pessoais (+0,66%).

O aumento no preço dos alimentos foi mais sentido com os insumos básicos. A cesta básica em Sinop – composta por 13 alimentos em quantidades necessárias para manter um adulto nutrido por 30 dias – ficou +3,11% mais cara em janeiro. Em dezembro, a cesta custava R$ 719,37. Em janeiro a média foi de R$ 741,74 – um aumento de R$ 22,37.

O alimento que mais impactou no custo da Cesta foi a batata. O tubérculo ficou +32,7% mais caro. Nos mercados locais é possível encontrar o vegetal custando na faixa de R$ 12,00 o quilo. Óleo de Soja (+6,9%) e Banana (+4,8%), também tiveram aumentos consideráveis.