Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Sábado 24 de Fevereiro de 2024

Menu

Em 2023

Polícia Civil de MT cumpriu 240 prisões contra foragidos da Justiça e mais de 4,7 mil precatórias

A maioria das cartas precatórias cumpridas foi em relação a crimes de estelionato contra vítimas de outros estados

Geral | 11 de Janeiro de 2024 as 13h 51min
Fonte: Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT

Foto: Divulgação

A Gerência de Polinter e Capturas da Polícia Civil de Mato Grosso (Gepol) cumpriu 240 mandados de prisão de procurados pela Justiça, em diversas cidades do Estado, e mais de 4,7 mil cartas precatórias ao longo de 2023.

As prisões por mandados de prisão ocorreram em quatro operações realizadas em diferentes regiões do estado, onde a Polinter localizou dezenas de foragidos da justiça de Mato Grosso e de outras unidades da federação. Durante o ano passado foram cumpridos, também, mandados contra criminosos que estavam presos por outros delitos e prestes a ganhar a liberdade condicional, mas ainda tinham pendências com a justiça.

Em decorrências de inquéritos instaurados pela Polícia Civil, esses criminosos tiveram prisões decretadas por variados crimes, como roubo qualificado, tráfico de drogas, associação para o tráfico, associação criminosa, latrocínio, homicídios tentados e consumados, crimes sexuais, entre outros.

A delegada titular da Gepol, Silvia Pauluzi de Siqueira, destaca que um dos trabalhos realizados pela Delegacia de Capturas é a busca por pessoas procuradas pela Justiça que foram condenadas ou tiveram mandado de prisão preventiva decretados no curso do processo.

“As equipes fazem os levantamentos com o intuito de identificar e localizar o paradeiro de foragidos da Justiça, que praticaram os mais variados crimes. Esses criminosos são alvos da Gepol, que trabalha incansavelmente para cumprimento da missão”, reforça a delegada.

 

Cartas precatórias

Além do cumprimento de mandados de foragidos, a Polinter tem entre suas atribuições o recebimento e cumprimento de cartas precatórias de unidades policiais de Mato Grosso e de outros estados do País. A carta precatória é um instrumento jurídico utilizado para efetuar diligências entre comarcas diferentes.

No ano passado, a Polinter cumpriu 4.798 precatórias. Dois mutirões foram realizados em Cuiabá, nos meses de julho e outubro, para reduzir o passivo de precatórias relacionadas a crimes de estelionato encaminhadas por outros estados.

No total, a unidade policial realizou, ainda, 3.260 oitivas e interrogatórios.




 

Operação Smash

Deflagrada pela Gerência Estadual de Polinter e Capturas (Gepol), a operação resultou no cumprimento de 10 mandados de prisão contra detentos das penitenciárias de Mato Grosso. A operação contou com o apoio e empenho de servidores do Sistema Penitenciário e contribui para a efetiva aplicação da lei penal.

O cumprimento das ordens de prisão faz com que criminosos que tenham pendências com justiça e que já estejam cumprindo penas em unidades prisionais não recebam o benefício da liberdade condicional e se mantenham recolhidos à prisão.



Em uma das fases da Operação Smash (do inglês esmagar) foram cumpridos mandados nas unidades prisionais das cidades de Pontes Lacerda, Arenápolis, Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Água Boa.

Outra fase concentrou o cumprimento de prisões no sul do Estado, em Rondonópolis e outras cinco cidades da região. Parte dos mandados foi cumprida na Penitenciária Major Eldo de Sá Corrêa (Mata Grande) e na unidade prisional feminina; outros mandados foram de pessoas foragidas.

Além de Mato Grosso, a Polinter estendeu a operação Smash a outros estados, concentrando esforços no cumprimento de prisões em outras unidades da federação. Com apoio de unidades policiais de outros estados, a Polinter cumpriu prisões em Goiás, Santa Catarina, São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul.