Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 23 de Julho de 2024

Menu

8 de janeiro

PF identifica pelo menos 48 foragidos pelos ataques de 8 de janeiro na Argentina

Corporação vai sugerir ao STF que inicie o processo de extradição dos suspeitos que estão no exterior

Geral | 07 de Junho de 2024 as 06h 32min
Fonte: CNN Brasil

Foto: Divulgação

A Polícia Federal (PF) vai sugerir ao Supremo Tribunal Federal (STF) que inicie o processo de extradição dos foragidos do ataque ao Estado Democrático de Direito que estão no exterior.

A reportagem apurou que, por ora, a instituição identificou pelo menos 48 suspeitos que entraram na Argentina em busca de refúgio. O Brasil ainda não pediu a inclusão desses foragidos na Interpol, organização de cooperação policial internacional, mas estuda fazer.

A suspeita é que os acusados entraram na Argentina escondidos em carros após quebrarem tornozeleiras eletrônica que usavam.

O processo de extradição, se aceito pelo governo argentino, precisa passar pelo Ministério da Justiça e o Itamaraty.

Ao longo dessa quinta-feira (6), a PF realizou uma operação para capturar foragidos no âmbito da operação Lesa Pátria, que investiga os ataques de 8 de janeiro do ano passado, quando as sedes dos Três Poderes foram vandalizadas.

Até às 20h, policiais federais haviam cumprido 49 mandados de prisão preventiva, expedidos pelo STF, em 18 estados e no Distrito Federal para a captura de investigados e condenados.

Os foragidos foram presos nos estados do Espírito Santo, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Paraná e no Distrito Federal.

Investigações apontam que os acusados descumpriram medidas cautelares, como uso de tornozeleira eletrônica, proibição de usar redes sociais e de não sair de casa aos fins de semana. Investigadores disseram à reportagem que alguns suspeitos chegaram até a postar foto em festas durante o período em que deveriam estar em casa por decisão judicial.