Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa tarde, Terça Feira 16 de Abril de 2024

Menu

Sinop

Obras da Estação de Esgoto no Rio Teles Pires iniciam em abril

Primeiro módulo terá capacidade de tratar 50 litros de esgoto por segundo

Geral | 21 de Março de 2024 as 17h 48min
Fonte: Jamerson Miléski

Foto: Assessoria

A maior estrutura para tratamento de esgoto de Sinop – e que de fato deve comportar o processo de universalização do serviço – começa a ser construída no próximo mês. Foi o que informou a diretoria da Águas de Sinop, na manhã desta quinta-feira (21), quando recepcionou profissionais da imprensa do município para apresentar números e dados da concessão.

Segundo o diretor executivo da Águas de Sinop, Leonardo Menna, os devidos licenciamentos ambientais já foram obtidos e a empresa já realizou a regularização prévia do terreno onde será implantada a Estação de Tratamento. A área fica às margens da MT-222, próximo ao rio Teles Pires, a montante da ponte. “As obras iniciam agora em abril e embora o prazo contratual seja dezembro de 2025, estamos trabalhando com o cronograma para iniciar as operações em dezembro de 2024”, afirmou Menna.

Área onde será instalada a ETE do Teles Pires

A implantação da ETE Teles Pires será feita em módulos. Na etapa a ser executada nesse ano terá capacidade de tratar 50 litros de esgoto por segundo. Inicialmente irá operar com reatores UASB – que opera com processo anaeróbico de fluxo ascendente, sendo mais eficiente no processo de estabilizar a matéria orgânica. Isso permitirá a Águas de Sinop tratar mais esgoto com uma estrutura “menor” em um primeiro momento. “Depois o método de tratamento será convertido para o mesmo utilizado na ETE Curupy [aeróbico], e com as ampliações futuras, no final a Estação do Teles Pires terá capacidade para 300 litros por segundo, comportando a demanda de Sinop e permitindo ser um ponto de redundância do sistema Curupy”, explicou Menna.

A plenitude do sistema Teles Pires deve ser alcançada em 2032, quando a empresa deve cumprir a meta contratual de recolher e tratar 98% do esgoto da cidade de Sinop. Só para fins de comparação, a ETE Curupy foi construída com capacidade para 60 litros por segundo e depois dilatada para 80 litros por segundo – embora tenha operado com uma média de 30 litros por segundo. Além das duas ETE, uma terceira é projetada para atender a região do Camping Clube, com uma capacidade técnica de 20 litros por segundo. “O grande sistema será o Teles Pires, porque é o curso de água com maior vazão e capacidade de comportar a emissão dos efluentes [esgoto tratado]”, pontua Menna.

A pressa na instalação da ETE Teles Pires tem razão. Em paralelo a Águas de Sinop fará a implantação de 17,5 km de rede coletora de esgoto no Jardim Florença, com a previsão de 1,6 mil novas ligações nesse eixo. O destino do esgoto coletado nessa nova rede será o Teles Pires. Para isso a empresa também implantará uma estação elevatória na região do Residencial Alameda, que fará o bombeamento do esgoto, além de um “interceptor” (uma rede coletora com 700 mm de diâmetro), com 12,7km de extensão, que vai do entroncamento da Avenida Bruno Martini com a Estrada Nanci até a ETE do Teles Pires.

Só com estas obras projetadas para 2024, a concessionária estima um investimento de R$ 50 milhões.