Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Boa noite, Quinta Feira 29 de Fevereiro de 2024

Menu

Economia

Metade da população de MT possui dívidas, diz pesquisa

De acordo com a Serasa, são mais de 1,3 milhão de pessoas. A maioria dos devedores são mulheres entre 26 e 41 anos

Geral | 11 de Setembro de 2023 as 08h 00min
Fonte: Redação G1-MT

Foto: Fecomércio-MT/Divulgação

Metade da população de Mato Grosso possui dívidas, de acordo com um levantamento da Serasa. Esse número corresponde a 1.335.184 de pessoas endividadas no estado. A soma de todas as dívidas vencidas dos mato-grossenses representam um total de R$ 6,9 bilhões.

A pesquisa ainda mostra que o valor médio das dívidas a R$ 5,2 mil em junho deste ano. O número representa um aumento 11% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em relação ao perfil das pessoas endividadas, mais da metade são mulheres da faixa etária entre 26 e 41 anos.

O jardineiro Jesuíno Oliveira contou que ano passado sofreu um acidente. Não pôde trabalhar durante um ano e não conseguiu o auxílio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O jardineiro autônomo acumulou uma dívida de R$ 50 mil e não sabe como pagar.

"Eu ganho em torno de R$ 2 mil, R$ 3 mil por mês e tenho família então não tem como pagar. Mesmo negociando no banco, não tenho o valor para dar", disse.

Segundo a Serasa, 31% dos endividados não conseguem pagar os cartões de crédito. O segundo lugar no ranking, são as contas de água, gás e energia elétrica, que totalizam 21% das dívidas.

O economista Fernando Henrique Dias explicou que o uso incorreto do cartão de crédito é a causa de boa parte das dívidas. Segundo ele, muitos que recebem até três salários mínimos por mês, usam o crédito como se fosse um complemento de renda e acabam sem conseguir pagar as mensalidades.

"Vai chegar em um momento que no primeiro, segundo e terceiro mês ela vai conseguir pagar. No quarto e no quinto ela não consegue porque tem que honrar as outras dívidas que ficaram para trás e vai optar por pagar os custos fixos de água, energia, e deixar o cartão de crédito rolar até virar o crédito rotativo que chega a 440% no Brasil", disse o economista.