Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Bom dia, Terça Feira 23 de Julho de 2024

Menu

Se afogaram

Mãe toma difícil decisão de desligar aparelhos que mantinham suas duas filhas vivas

“Sei que elas estão em paz, mas é devastador perder não uma, mas duas filhas”, declarou a mulher, que é de Nova Jersey, nos Estados Unidos

Geral | 04 de Junho de 2024 as 21h 36min
Fonte: Revista crescer

Foto: Reprodução/ Fox

Poucas experiências são tão dolorosas quanto a perda de um filho. Imagine perder dois, ao mesmo tempo - e ter que decidir isso. Brittney McWhite, uma mãe de Gloucester, Nova Jersey, nos Estados Unidos, e seu marido, tiveram de tomar a díficil decisão de desligar os aparelhos que mantinham suas duas filhas vivas. London Marie, 11, e Wadale, 14, estavam internadas e respirando apenas por meio das máquinas, depois de sofrerem um afogamento, em uma piscina, durante uma festa de família.

As duas crianças estavam na piscina, brincando de “Marco Polo”, quando a mãe entrou em casa para verificar o preparo da comida. De acordo com Brittney, o tempo de sua ausência durou entre cerca de três e quatro minutos. Ela estava cozinhando para convidados, no feriado americano do Memorial Day, que celebra os militares que morreram em combate.

A mãe declarou, em entrevista, que conseguia ouvir as crianças chamando os nomes umas das outras enquanto brincavam. No entanto, quando voltou sua atenção para elas, não conseguiu mais vê-las. As crianças foram encontradas no fundo da piscina e foram imediatamente retiradas, mas nenhuma das duas recuperou a consciência.

Os médicos explicaram que não havia mais o que fazer, depois de uma semana que London e Wadale já estavam ligadas aos aparelhos de suporte vital. Então, no último domingo (2), a família optou por desligar. “Manter minhas filhas presas a máquinas pelo resto da vida não é o ideal de qualquer pai ou mãe, então hoje decidimos encerrar o suporte vital”, declarou ela.

"Sei que elas estão em paz, mas é muito devastador perder não apenas uma filha, mas duas. Acho que é mais desafiador porque você não aguenta isso, mas tem que continuar", acrescentou.